sexta-feira, 25 de fevereiro de 2005

O ESTADO EM QUE FICOU SANTANA LOPES

4 Comments:

At 25 de fevereiro de 2005 às 16:04, Anonymous Maria José said...

Santana despede-se «sem rancores»
O primeiro-ministro cessante despediu-se, esta sexta-feira, do Presidente da República «sem rancores» e com a convicção de que Jorge Sampaio fez a leitura certa da vontade popular quando decidiu dissolver o Parlamento e convocar eleições.

O primeiro-ministro cessante, Pedro Santana Lopes, esteve hoje no palácio de Belém para um almoço de despedida a convite do Presidente da República.

No fim, Santana Lopes, quis deixar claro que, apesar das divergências políticas do passado, a sua relação pessoal de «há muitos anos» com Jorge Sampaio permanece «intocável e inatacável».

«Não guardo rancores», avançou o primeiro-ministro cessante aos jornalistas presentes no local, sublinhado o «modo exemplar» como decorreu a relação institucional com Sampaio.

Santana Lopes admitiu que o Presidente da República fez uma leitura correcta da situação política quando decidiu dissolver o Parlamento e convocar eleições legislativas antecipadas. «É isso que revela o resultado das eleições», declarou.

O primeiro-ministro cessante escusou-se a revelar pormenores sobre o futuro político, designadamente se retoma o cargo de presidente da Câmara de Lisboa, optando antes por concentrar as suas declarações nos elogios ao Presidente da República.

É LINDO MENINO PEDRO

 
At 25 de fevereiro de 2005 às 16:07, Anonymous Joaquim Nunes said...

Depois de tantas facadas o pobre homem ficou neste estado.
Pobre Pedro, vai ficar na história...

 
At 25 de fevereiro de 2005 às 16:09, Anonymous João Rosa said...

Desemprego aumenta em Janeiro
O número de desempregados inscritos nos Centros de Emprego aumentou 4,1 por cento em Janeiro, face ao mesmo mês de 2004, para cerca de 4783 mil desempregados. O desemprego de longa duração continuou a aumentar.

O número de desempregados inscritos nos Centros de Emprego aumentou 4,1 por cento em Janeiro, o que significa mais 18.997 indivíduos sem emprego que no mesmo mês de 2004.

Segundo os dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional, no primeiro mês de 2005 estavam inscritos nos centros de emprego do Continente e Regiões Autónomas, 483.447 desempregados.

Em termos mensais, o aumento foi de 3,1 por cento, o equivalente a mais 14.495 desempregados que no mês de Dezembro.

Desemprego de longa duração acentua peso

O desemprego de longa duração - pessoas à procura de emprego há 1 ano -registou novo aumento, com mais 10,6 por cento de inscritos em Janeiro de 2005 face a Janeiro de 2004.

«O desemprego de longa duração acentua, assim, o seu peso relativo na estrutura do desemprego, ao atingir 41,7 por cento em Janeiro de 2005, contra 39,3 por cento no mês homólogo de 2004», avança o IEFP

Nem no fim se safa.

 
At 25 de fevereiro de 2005 às 16:11, Anonymous João Rosa said...

MAIS DO MESMO:

Desemprego de longa duração aumenta
Nos últimos três meses de 2004, o desemprego de longa duração duplicou em relação a igual período de 2003. Em Portugal há pelos 97 mil pessoas que estão à procura de emprego há mais de dois anos. Os dados são do INE.

Os dados do Instituto Nacional de Estatística revelam que, entre o último trimestre de 2003 e o ultimo trimestre de 2004, o desemprego de longa duração (pessoas que estão desempregadas há 25 meses ou mais), registou um aumento homólogo de 57 por cento para 97 mil desempregados.

Também o número de desempregados que esperam por emprego entre os 12 e os 24 meses registou um aumento homólogo de 2,9 por cento para 85 mil pessoas.

Segundo os dados, os desempregados que procuram emprego há menos de 12 meses são, no total, 132 mil. O aumento homólogo foi de 1,6 por cento.

O INE revela ainda que, entre o último trimestre de 2003 e o último trimestre de 2004, o numero de pessoas que não recebe subsidio de desemprego subiu em quase 20 mil para 122 mil pessoas.

 

Enviar um comentário

<< Home