quarta-feira, 31 de agosto de 2005

MANUEL ALEGRE


Trova do Vento que Passa

Pergunto ao vento que passa
notícias do meu país
e o vento cala a desgraça
o vento nada me diz.

Pergunto aos rios que levam
tanto sonho à flor das águas
e os rios não me sossegam
levam sonhos deixam mágoas.

Levam sonhos deixam mágoas
ai rios do meu país
minha pátria à flor das águas
para onde vais? Ninguém diz.

Se o verde trevo desfolhas
pede notícias e diz
ao trevo de quatro folhas
que morro por meu país.

Pergunto à gente que passa
por que vai de olhos no chão.
Silêncio -- é tudo o que tem
quem vive na servidão.

Vi florir os verdes ramos
direitos e ao céu voltados.
E a quem gosta de ter amos
vi sempre os ombros curvados.

E o vento não me diz nada
ninguém diz nada de novo.
Vi minha pátria pregada
nos braços em cruz do povo.

Vi minha pátria na margem
dos rios que vão pró mar
como quem ama a viagem
mas tem sempre de ficar.

Vi navios a partir
(minha pátria à flor das águas)
vi minha pátria florir
(verdes folhas verdes mágoas).

Há quem te queira ignorada
e fale pátria em teu nome.
Eu vi-te crucificada
nos braços negros da fome.

E o vento não me diz nada
só o silêncio persiste.
Vi minha pátria parada
à beira de um rio triste.

Ninguém diz nada de novo
se notícias vou pedindo
nas mãos vazias do povo
vi minha pátria florindo.

E a noite cresce por dentro
dos homens do meu país.
Peço notícias ao vento
e o vento nada me diz.

Mas há sempre uma candeia
dentro da própria desgraça
há sempre alguém que semeia
canções no vento que passa.

Mesmo na noite mais triste
em tempo de servidão
há sempre alguém que resiste
há sempre alguém que diz não.

Manuel Alegre

6 Comments:

At 31 de agosto de 2005 às 09:25, Anonymous MASP III said...

Manuel Alegre = muita parra e pouca uva. Se a cobardia matasse...! Não concorda com a candidatura do velho, avance! Com que então não existem homens providenciais, heim? Alegre demonstrou que, antes de ser cidadão, democrata e republicano é socialista. Mais um do aparelho, sem coragem para remar contra a maré. Cobarde.

 
At 31 de agosto de 2005 às 10:53, Anonymous Anónimo said...

Vota no REI, Vota...

 
At 31 de agosto de 2005 às 11:27, Anonymous Anónimo said...

A CRIANÇA...

CUIDADO COM A DOR;
NÃO BATAS NA CRIANÇA;
TU ÉS TEU SALVADOR;
PARA QUÊ A CAGANÇA?

A CRIANÇA NÃO QUER
MANDAR, NEM SER MUI RICA.
A CRIANÇA SEQUER
TEM PRESSA. E, BEM FICA.

CADA UM TEM DE SER
COMO É; NÃO PODEMOS
PRESSIONAR, A VER
SE SÃO COMO QUEREMOS.

JoaquimMarquesMachoqueira

 
At 31 de agosto de 2005 às 13:36, Anonymous Anónimo said...

Aquela clara madrugada que
Viu lágrimas correrem no teu rosto
E alegre se fez triste como se
Chovesse de repente em pleno Agosto

...

E viu que a pátria estava toda em ti
E ouviu dizer adeus: essa palavra
Que fez tão triste a clara madrugada
Que fez tão triste a clara madrugada

Manuel Alegre
O Canto e as Armas, 1974

 
At 1 de setembro de 2005 às 11:27, Anonymous MANUEL said...

Soares - o candidato de todos os conservadores



Soares portou-se mal com Alegre, ponto. Dito isto não é por isso, por uma questão de carácter, que será uma má - péssima - opção como Presidente da República, para Portugal e para os Portugueses, é-o, sim, porque não acrescenta nada de novo, não une, mas divide, desestabiliza e sobretudo porque a candidatura de Soares, derivada do mais profundo do aparelhismo e caciquismo partidários, é o pior sinal que se pode dar quando parece óbvio que a maior reforma de que o regime precisa é a do sistema político-administrativo. Soares é o candidato não das apenas das esquerdas mas do status-quo, dos resignados, em suma de todos os os conservadores, já Cavaco, por oposição flagrante, é o candidato das reformas, da modernidade e sobretudo da sociedade civil, é esta que o impõe aos partidos (de cujo jugo se libertou) da direita, e não o contrário, como acontece com Soares

 
At 10 de fevereiro de 2009 às 11:42, Anonymous Anónimo said...

Simplesmente tocante! adorei! e para quem não gosta que escreva... mas que escreva com esta classe e desta forma emotiva que nos toca e que nos transmite algo. Há sempre algum invejoso pronto a dizer mal do que se faz, mas quem critica raramente o faz melhor!

Continue assim Manuel Alegre!
Um beijinho amigo

 

Enviar um comentário

<< Home