segunda-feira, 30 de novembro de 2009

MAIS UM POUCO DE ECOLOGIA CÁ À MODA DO BURGO...



Na passada Sexta feira, noticiava o Expresso online aqui:


«Nem a chuva intensa impediu a plantação de quatro mil árvores.

Dois dias antes do Dia da Floresta Autóctone, e debaixo de chuva intensa, cerca de meia centena de pessoas juntaram-se na Samardã para plantar quatro mil árvores, uma iniciativa para "a promoção e conservação das florestas naturais" apadrinhada pela Caixa Geral de Depósitos (CGD) e pela Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza.


(...)

Em comunicado, a CGD contabiliza que, no mesmo dia, no âmbito do projecto de recuperação da floresta original portuguesa, foram plantadas 15 mil árvores em sete localidades diferentes (Baião, Cadaval, Grândola, Ponte de Sôr, Portalegre, Sabugal e Vila Real), acções que contribuíram para que o projecto da "Floresta Caixa" já tenha ultrapassado as 107 mil plantas, "entre espécies arbóreas e arbustivas autóctones, colocadas em terrenos de Norte a Sul do país". (...)»


Ainda pensei que algumas dessas árvores viessem para o Jardim do Monte da Pinheira, do qual já falei aqui no blogue, na passada Segunda Feira.


Na altura, não tinha fotos, mas para que os meus leitores me percebam como é possível existir um jardim sem árvores, aqui deixo algumas fotos, de fraca qualidade, mas que dão para perceberem bem do que falo.


Eis uma panorâmica do jardim, relva verde mas nada de árvores. Embora o verde pareça desmaiado, posso garantir que a qualidade da relva não é má de todo.

Pormenor do caminho que atravessa o jardim. Nos dias de verão, a sombra dos candeeiros é muito apreciada!


A zona central tem bancos ao seu redor, que não parecem estar no melhor estado de conservação.


Sobre esses bancos, está uma estrutura composta por vigotas, que penso servirem, num futuro próximo (século XXII?) para plantas trepadeiras. O desalinhamento que se vê na foto não é nenhum arranjo estético, são mesmo algumas vigotas que se encontram soltas (sim, soltas!), e que se podem mover facilmente, empurrando-as. Qualquer criança que se empoleire poderá, inadvertidamente ou não, derrubar alguma peça. E se cair em cima de alguém? A quem se deverão pedir explicações?


Por isso, aviso os pais que deixam as suas crianças brincar naquele jardim para terem cuidado ou queixarem-se a quem de direito.


Para terminar, somente um pequeno comentário.


Todos sabem que a blogosfera é um mundo de partilha, um copy-paste constante, «eu roubo-te a ti e tu roubas-me a mim...» por isso é frequente irmos buscar posts a outros blogues e vermos os nossos noutros. São as regras do jogo e ainda bem que assim é.


Um dos blogues mais conhecidos da nossa zona é o pontedosor.blogspot.com, que por vezes, reconhece algum valor às patacoadas que aqui vou escrevendo e resolve publicá-las.


O post de que falei na segunda feira, «Hoje Sinto-me Verde!...», foi publicado nesse blogue.


Houve um comentário dum Anónimo (são sempre anónimos, mas de cara bem conhecida!) em que me chamava "demagogo". Dizia o citado comentarista:


«ja sei porque é que este país está tão atrasado.
É por ter demagogos destes como professores!!!»


O que é um facto é que a opinião pública de Ponte de Sor é assim: insulta, refila, mas são muito pouco assertivos. Insulta-se quem tenha a veleidade de ter uma opinião, mas sem se refutar nada do que fora afirmado. Não se vai à raiz do problema, pois a cobardia está latente nessas pessoas. E as colunas direitas são um bem em vias de extinção!


Se alguém me dissesse «eh pá, isso é treta, pois o novo conceito de jardins é assim, sempre se poupa água na rega das árvores, por isso estás a ser demagogo». Se alguém me dissesse isso, eu reconsideraria, mas insultar simplesmente dizendo que este país está atrasado, por ter professores demagogos como eu...


Deve ser algum adiantado mental!


E fim da polémica!


PAPAGAIO DALTÓNICO

Etiquetas: , , , , ,

13 Comments:

At 1 de dezembro de 2009 às 00:32, Anonymous mestre pontes said...

Oh Zé, isto é teu ou do Papagaio daltónico?

Mestre Pontes

 
At 1 de dezembro de 2009 às 14:31, Blogger Silvia said...

Seja quem for o Sr. Professor, estou totalmente de acordo. Mas o que interessa aqui no fundo é ofender sem razão...

 
At 1 de dezembro de 2009 às 18:12, Anonymous Anónimo said...

Aquele jardim é mais um dos maus exemplos da aplicação do dinheiro dos contribuintes e tem 2 grandes defeitos:
de verão durante o dia não se pode lá estar porque não há sombras e de noite não tem iluminação;

 
At 1 de dezembro de 2009 às 19:10, Anonymous Anónimo said...

Vocês são uns criticos da merda. Se se faz é porque se faz, se não se faz, é porque não se faz. Se o tempo que perdem em criticas nojentas, porque razão não vão plantar árvores para o deserto da vossa tia, para não vos mandar para outro lado. Tá bêm Sõr dotor de canudo comprado ?.

 
At 1 de dezembro de 2009 às 19:25, Anonymous O historiador da vila said...

Ao que se sabe cá na "vila", quem comprou o canudo, foi sua excelência o "alcaide/fascista"

 
At 1 de dezembro de 2009 às 22:07, Anonymous Anónimo said...

Eu sempre ouvi dizer que o sucesso das pessoas , não se compra......... conquista-se!! Muito destes assessores só são alguem porque houve caridade e tambem algum aproveitamento politico , por parte da personagem que sabem !!! O que é que o Catalão fez até agora para justificar o lugar que ocupa tal como o seu vencimento ?? Assim como o gordo que veio da cortiça !! Porque é que a reformada passados alguns anos da se ter aposentado quer voltar a trabalhar , ainda para mais com alguem que não é da sua cor partidária ??Alguém consegue explicar o obvio ?? Money , money , money ... é muito bom ainda para mais quando não custa a ganhá-lo !!!!
Este pais está nas mãos de cur....ptos ....e só vem a comfirmar que temos o que muitos merecem . Eu não me incluo pois votei diferente , portanto peço que poderem muito aquando das vossas escolhas e não se deixem levar por porcos no espeto e algumas minis a reboque . Isto tudo só para dizer que acho muito oportuno falar deste ultimo assunto . Passem pelas ruas deste bairro e vejam o monte de terra assim como as milhares de folhas caidas no chão . Das arvores dos canteiros não falo , pois agora que começou a chover , ainda não tiveram liçença para morrerem . Oh gordo , tu que vives junto a este bairro , ainda não viste a merda que vai no chão ??

 
At 2 de dezembro de 2009 às 08:24, Anonymous Anónimo said...

O gordo é o do preço certo?

 
At 2 de dezembro de 2009 às 10:13, Anonymous Anónimo said...

Adorei a do adiantado mental e a do Gordo do preço certo...
Muito bom... se as produções fictícias dão com o blog e os comentários, têm aqui muito material cómico para trabalhar nos programas de humor.

 
At 5 de dezembro de 2009 às 22:25, Anonymous Anónimo said...

têm razão o canteiro precisa de uma revolução. todos para a rua.

 
At 6 de dezembro de 2009 às 18:34, Anonymous Anónimo said...

Falando de jardins.

Todas as vezes que passo pelo largo da feira vejo certos indivíduos agarrados à cerveja à porta duma tasca lá do sítio. Seja de manhã à tarde ou à noite lá estão os felizardos do rendimento mínimo garantido.
Também passo pelo Centro de Saúde e vejo aquele jardim maravilhosamente tratado...
Porra, ponham essa gente a trabalhar.

 
At 7 de dezembro de 2009 às 12:55, Anonymous Anónimo said...

Acabem com o rendimento mínimo se querem ver o desemprego a baixar.

Estou farto de descontar para essa cambada que nada faz a não ser passar o dia nos cafés a comer e a beber à conta de quem trabalha.

Cambada de parasitas.

 
At 22 de dezembro de 2009 às 21:58, Anonymous Anónimo said...

alguém sabe dizer o que é que aconteceu ao Taveira Pinto?

 
At 18 de fevereiro de 2010 às 18:29, Anonymous Anónimo said...

A rua da frialva foi á poucos dias pavientada de novo devido a buracos no pavimento, até aqui tudo bem, mas o pior é que logo após o pavimento estar concluido então não é que lá rebentou uma conduta de água,o que veio dar cabo do dito pavimento mas até aqui nada de anormal.
Arranja,parte,arranja, parte é normal na nossa cidade oque não é normal é o velho problema desta rua as condutas estão velhas e os nossos autarcas antes de mandar pavimentar deviam era substituir as ditas condutas em primeiro lugar e depois então colocar o pavimento novo. Não é admissivél que no espaço de 15 dias falte a água por 3 vezes não é admissivel que nos fins de semana água muito pouca quase que nem para tomar banho se consegue,paga-se imosto autárquico paga-se para tudo e quanto ao serviço prestado é só para inglês ver.
Srs: Autarcas nao acham que´é tempo de olahar um pouco mais pela dita zona de luxo da cidade,pelo menos é a que paga mais de contribuição.

 

Enviar um comentário

<< Home