sexta-feira, 19 de agosto de 2005

MUITO BEM PREGA JOSÉ SÓCRATES

O primeiro-ministro José Sócrates refutou, esta quinta-feira, as críticas feitas à sua ausência do país na época dos incêndios, considerando que a «exploração política» do tema é «demagógica, injusta e mesquinha».

O mais importante é a imagem (própria), o resto vem depois. mesquinho q.b


Ministro recebe subsídio de alojamento
O ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, recebe um subsídio de alojamento por ter residência a mais de 100 quilómetros do Terreio do Paço, segundo um despacho assinado por José Sócrates e publicado ontem em Diário da República dá a o máximo da ajuda permitida por lei.
O ministro tem residência no Porto e vive há 10 (dez) anos em Lisboa e vai receber um subsídio de alojamento.

15 Comments:

At 19 de agosto de 2005 às 11:45, Anonymous João Miguel said...

SÓCRATES ARMADO EM P... OFENDIDA

Quando se pede muitos sacrificios aos portugueses, se aumenta a carga fiscal directa e indirecta, quando há bolsas de fome e pobreza, no interior de Portugal, onde o estado dirgido pelo Sócrates gasta mais do que recebe, diz o bom senso e a causa pública que não se deve ir de férias para o Kénia.
Nem dar subsidios destes aos chulos que nos governam.
É ROUBAR O QUE O GOVERNO DO PARTIDO SOCIALISTA DE JOSÉ SÓCRATES ESTÁ A FAZER.

 
At 19 de agosto de 2005 às 13:43, Anonymous Anónimo said...

Finanças - ministro recebe 43 euros por dia

Teixeira dos Santos com subsídio de casa

O ministro das Finanças recebe 43,48 euros por dia a título de subsídio de alojamento, uma vez que tem residência a mais de 100 quilómetros do Terreio do Paço.
Um despacho assinado por José Sócrates e publicado ontem em Diário da República dá a Teixeira dos Santos o máximo da ajuda permitida por lei: 75 por cento do valor das ajudas de custo estabelecidas para os vencimentos superiores ao índice 405 da Função Pública (cerca de 57,98 euros).

São 1304 euros a mais, todos os meses, para fazer face à distância e 15 870 euros ao fim de cada ano. Montantes que não compensam os cerca de 10 mil euros por mês que Teixeira dos Santos vai perder por ter trocado a presidência da Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) pela pasta das Finanças. Recorde-se que o salário de presidente da CMVM é de 16 344 euros por mês, enquanto o ministro das Finanças tem um salário base de 4582 euros, acrescido de 1832 euros para despesas de representação.

Apesar de fazer a sua vida profissional em Lisboa há cerca de uma década, Teixeira dos Santos, tem a sua habitação na rua Dr. Manuel Laranjeira, em Paranhos, junto da Faculdade de Economia do Porto, onde é professor.

O ministro das Finanças tem ainda uma segunda residência no Lugar de Mongoeiro em Vila Nova de Cerveira, onde se dedica às suas actividades de lazer favoritas; a jardinagem e a fotografia.

Parte deste património imobiliário foi comprado através de um empréstimo contratado com a Caixa Geral de Depósitos e de que ainda falta pagar 29 737 euros.

Segundo a declaração que o actual ministro das Finanças apresentou no Tribunal Constitucional no passado dia 28 de Julho, para além dos imóveis, Teixeira dos Santos detém um Plano Poupança Reforma (também na CGD) e várias aplicações financeiras, do qual se destaca um depósito a prazo especial no valor de 45 mil euros e um fundo CGD RendaMensal num valor superior a 25 mil euros.

Questionada a Presidência do Conselho de Ministros sobre quantos membros do Governo têm subsídios de alojamento, aquele organismo não soube responder, remetendo para as autorizações publicadas no Diário da República.

EM LISBOA DESDE 1995

Fernando Teixeira dos Santos vive em Lisboa há perto de dez anos, altura em que integrou como secretário de Estado do Tesoura e das Finanças, o Governo de António Guterres. Também nessa altura beneficiou do subsídio de alojamento, previsto na Lei desde 1980.

Depois de deixar o executivo, em 1999, Teixeira dos Santos regressou à Faculdade de Economia do Porto, para em 1 de Março de 2000 tomar posse como presidente da Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Era a CMVM que provindeciava a habitação de Lisboa a Teixeira dos Santos, tal como fez para o anterior presidente. Costa Lima, também ele com casa no Porto.

NOTAS

TROCA DE CARRO

O ministro das Finanças trocou este ano de carro, desfazendo-se de um Ford e comprando um BMW. Teixeira dos Santos declarou junto do Tribunal Constitucional um rendimento do trabalho dependente referente a 2004, de 232 519 euros, a que acresce 2 500 euros de trabalho independente.

O EXEMPLO FRANCÊS

O ex-ministro da Economia e das Finanças francês, Hervé Gaymard, foi obrigado a demitir-se depois da Imprensa ter revelado que ocupava uma casa de 600 m2 paga pelo estado francês (14 mil euros por mês), quando era proprietário de um apartamento em Paris de 200 m2. O governante foi obrigado a reembolsar 31 8883 euros.

CORREIO DA MANHÃ
Miguel Alexandre Ganhão

 
At 19 de agosto de 2005 às 15:21, Anonymous MANUEL said...

Uma chico-espertice como outra qualquer


Desta vez não se trata de uma reforma, e que se saiba um subsídio destes não é um direito adquirido (vitaliciamente) ou é ?


Teixeira dos Santos vive em Lisboa mas tem residência no Porto
Contribuintes pagam 1.300 euros/mês de alojamento ao ministro das Finanças

O ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, recebe um subsídio de alojamento mensal de 1.304 euros (mais de 260 contos) por ter residência a mais de 100 quilómetros do Terreio do Paço. Um despacho assinado por José Sócrates e publicado ontem em Diário da República dá assim ao ministro o máximo da ajuda permitida por lei.

São cerca de 1.300 euros por mês o montante atribuído para alojamento a Teixeira dos Santos que, apesar de estar a trabalhar em Lisboa há dez anos, continua a morar no Porto. O «Correio da Manhã» fez as contas e diz que são, nada mais, nada menos, do que 43,48 euros por dia, correspondentes a 75% do valor das ajudas de custo estabelecidas para os vencimentos superiores ao índice 405 da função pública (cerca de 57,98 euros).


Obviamente não se demite. Obviamente (?!) ainda ninguém pediu a sua demissão.

 
At 19 de agosto de 2005 às 16:05, Blogger JoaquimMarquesMachoqueira said...

D. João IV era rico (último programa de H. Saraiva), mas deu muito para a causa de Portugal;o próprio Salazar, com todos os seus erros e injustiças, não aproveitou para lucrar com o Governo; também ninguém pode acusar Cunhal nesse ponto...
Agora, tirar aos pobres e remediados para dar aos ricos era o que fazia o rei inglês e seus apaniguados no tempo de Robin dos Bosques!...

 
At 19 de agosto de 2005 às 16:30, Anonymous Anónimo said...

...ESTES MINISTROS DAS FINANÇAS DO GOVERNO DO PARTIDO SOCIALISTA, QUEREM QUE OS PORTUGUESES LHE PAGUEM AS MORDOMIAS...

Ministro das Finanças escolhe para o gabinete antigos colaboradores da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, que mantêm remuneração e regalias de origem. Assessora de imprensa de ministro das Finanças vai ganhar 4500 euros


Os nomes dos membros do gabinete do novo ministro das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos, que chegou ao Governo no dia 21 de Julho, foram publicados, esta sexta-feira, em Diário da República.

O ex-presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) não esqueceu os seus antigos colaboradores. Três funcionários da CMVM foram requisitados por Teixeira dos Santos para integrarem a sua equipa mais próxima, ao abrigo de um decreto-lei (o número 262/88 de 23 de Julho) que regula a composição dos gabinetes ministeriais.

O ministro nomeou para o seu gabinete mais cinco funcionários de outras entidades e pediu o destacamento de 18 pessoas de serviços do quadro do Estado, para completar o «núcleo de apoio administrativo».

De acordo com o diploma, é possível que os elementos requisitados mantenham a remuneração e as regalias de origem. Segundo os despachos hoje publicados, os funcionários da CMVM que acompanham o ministro, Gonçalo Castilho dos Santos, Sofia Câmara e Zita Ferreira Ramos, mantêm «a opção pelo regime de remunerações do lugar de origem, incluindo todos os direitos, subsídios e regalias sociais ou outras» usufruídas.

Ora, a CMVM, cuja gestão patrimonial e financeira se rege por princípios de direito privado, apenas publicita as remunerações e regalias dos membros do Conselho Directivo e da Comissão de Fiscalização, definidas por despacho do ministro das Finanças e do secretário de Estado do Tesouro e das Finanças, respectivamente, como explicou ao PortugalDiário fonte do departamento de comunicação e relações públicas. Não foi, por isso, possível apurar quanto vai o Estado pagar aos membros deslocados do gabinete do novo responsável pelas contas públicas portuguesas.

Mas nem todos os valores são desconhecidos. A nova assessora de imprensa do ministro Teixeira dos Santos, Fernanda Pargana, por exemplo, vai ganhar por mês 4500 euros, como determina um despacho datado de 3 de Agosto.
In:PORTUGAL DIÁRIO

 
At 19 de agosto de 2005 às 17:21, Anonymous Gracinda said...

Porra... isto é pior que no tempo do Pedro Santana Lopes... a todas as horas há broncas novas...

 
At 19 de agosto de 2005 às 21:10, Anonymous Anónimo said...

Tenho orgulho em ser portuguesa mas tenho vergonha da política portuguesa, política "assalto" dum país terceiro mundista onde as discrepâncias sociais são cada vez maiores e não por culpa dos arrasados funcionários públicos mas da falta de vergonha dos que pulam à "vara" para a ribalta política. Onde estão os políticos honestos que se interessam realmente pelo país?
O défice vai aumentar afirmam, devido aos aumentos salariais que há dois anos não se verificavam, mesmo tendo estes ficando muito abaixo da inflacção... Este país é governado por uma ditadura encapuçada... Estou farto, nem escrever me apetece porque são palavras de revolta mas também palavras ao vento.

 
At 20 de agosto de 2005 às 02:57, Anonymous Anónimo said...

De momento nao existem grandes motivos pa dizer k tenho orgulho de ser portugues? deixem-me dizer bem alto tenho vergonha de ser português e governado por chulos como estes.........

 
At 20 de agosto de 2005 às 14:49, Anonymous Anónimo said...

A situação de facto é revoltante.

 
At 20 de agosto de 2005 às 16:38, Blogger JoaquimMarquesMachoqueira said...

Há um modo de resolver conflitos resultantes de invejas que é o seguinte: se alguém deseja, mesmo injustamente, o que é nosso que o leve. Como a Justiça existe, não só isso há-de voltar para nós como o invejoso será punido por tal. Fica assim o conflito resolvido sem guerras, que, ao contrário do que alguns tentam provar, nunca são boas para ninguém

 
At 20 de agosto de 2005 às 21:31, Anonymous Anónimo said...

a pobreza de espírito do costume...nos comentários do pontedosor.

 
At 21 de agosto de 2005 às 14:13, Anonymous Anónimo said...

A guerra pode ser legtítima

 
At 21 de agosto de 2005 às 16:46, Blogger JoaquimMarquesMachoqueira said...

Há coisas, pessoas e seres que nos fazem por vezes perder a paciência... Para termos mais da Paciência, que também é sem limites, claro, já que tudo e todos, retirado o que não presta, têm o seu valor.

 
At 21 de agosto de 2005 às 22:40, Anonymous Anónimo said...

Há cada abécula!

 
At 25 de junho de 2010 às 00:39, Anonymous Carlos Alexandre said...

Esse Nosferatu das Finanças mora no Saldanha(a mais de 100km do Terreiro do Paço).Esse proxeneta encartado a quem chamam ministro dirige a maior associação criminosa do pais:a D.G.C.I.e as armas que 11 milhões(sem contar com os ciganos romenos)podem usar é não apresentarem a declaração de rendimentos no proximo ano.Pode ser que o fulano e toda a corja se tenham que agarrar a uma enxada num futuro proximo.

 

Enviar um comentário

<< Home