sábado, 16 de dezembro de 2006

EM PONTE DE SOR, ESPERA APARIÇÃO...


A MOAGEM - Cidade do Engenho e das Artes é o novo equipamento cultural da cidade do Fundão, que foi hoje inaugurado pelo Presidente da República, Cavaco Silva.


Moagem - Cidade do Engenho e das Artes
Fundão




História
É o único relevo histórico da indústria fundanense do séc.xx, surge formalmente em 1922 e encerra no final dos anos 80.
Em 2003 é adquirida pela Câmara Municipal do Fundão.

A Moagem - Centro de Engenho e das Artes
É um equipamento cultural assente na recuperação do complexo edificado da antiga empresa Moagem do Fundão, que contempla valências diversificadas que interagem na criação de uma oferta cultural integrada.

Núcleo distribuidor e estruturante da oferta cultural do Município do Fundão, eleva o potencial da mesma numa afirmação em contexto regional e nacional, cruzando eixos de intervenção cultural, actividades temáticas e linguagens artísticas.

Objectivos

Aproximação entre a comunidade e as linguagens artísticas;
Oferta Cultural diversificada;
Criação de plataforma pedagógica artística e cultural;
Dinamização de redes externas de programação (Itenerâncias);
Afirmação oferta cultural local a nível regional e nacional;
Envolvimento das comunidades.


Valências

Auditório
Com lotação de 150 lugares encontra-se plenamente equipado para a realização de espectáculos de música, teatro e dança, exibição regular de cinema, bem como semanários e conferências.

Serviço Educativo
Aproxima a programação dos seus públicos;
Actividades de valorização das experiências culturais enquanto estímulo à criatividade, à imaginação e à comunicação;
Pretende tornar familiares os principais conceitos de arte contemporânea, reconhecendo-a como arte dos nossos dias.

Sala de Exposições de Arte Contemporânea
Antigo armazém destinado ao acolhimento de exposições de arte contemporânea, alternando entre exposições de reconhecido mérito cultural em parceria com outras actividades e entre a exibição de criações próprias e originais que partem da própria programação.

Núcleo de Arquelogia Industrial
Reconstituição do circuito de maquinaria de processamento do cereal, evidenciando o encadeamento de processos, reflectindo a própria evolução arquitectónica, económica e social da Empresa Moagem do Fundão.
O discurso expositivo incidirá tanto na componente tecnológica e científica como na dimensão humana e social do trabalho industrial.

Laboratório de Tecnologias Criativas
Centro de recursos multimedia destinadas à criação artística, no âmbito do som e da imagem, disponibilizando ao público material de edição profissional que permita criadores atingir os mais elevados padrões de qualidade técnica das suas obras, contemplando igualmente a produção de conteúdos audiovisuais associados à própria Moagem - Cidade do Engenho e das Artes.

Lounge
Bar panorâmico que ocupa o piso superior do edifício da Moagem, dispõem de equipamento de som e vídeo que permite acolhimento de uma programação específica centrada nas vertentes mais contemporâneas da cultura urbana, com contraponto em acções informais de comunicação, que assim alternam os registos de um espaço onde se vai ficando entre a exibição de documentários, videoclips, performances,djs e vjs, lançamento de edições e conversas informais com artistas, autores e criadores.

Centro do Visitante
Ponto de recepção e acolhimento da Moagem, é igualmente a porta da entrada no território do Município do Fundão, traduzindo o seu papel enquanto pólo distribuidor da procura e oferta de um território, aqui se disponibilizando toda a informação relativa à oferta turística e cultural existente, valorizando as experiências individuais de visita.

Estúdio
Sala com lotação de 50 lugares, contempla um uso diversificado que acolhe conteúdos multimedia de natureza turística associada aos pontos de interesse do território do Fundão, bem como as instalações multimedia e vídeo-arte, acções no âmbito de residências artísticas de sessões de formação e de iniciação criativa.

Restaurante
Implantado em torno da velha chaminé e do forno da antiga padaria.
Este restaurante pretende celebrar o ciclo do pão enquanto elemento nobre da alimentação, constituindo-o como elemento central de um compromisso entre a tradição culinária.

Loja
No piso superior do restaurante instala-se um ponto de venda do melhor que tem a região do Fundão para apresentar, valorizando os produtos tradicionais sob inovadores formas de packaging e distribuição, bem como edições da responsabilidade da autarquia e da Moagem, disponibilizando igualmente produtos culturais de qualidade, em estreita associação com os ciclos de programação desenvolvidas e acompanhando os eventos realizados.

A Moagem - Programação

Eixos Fundamentais:

Produção de eventos, espectáculos e objectos artísticos;

Acolhimento de projectos externos;

Exposições de arte contemporânea;

Actividades pedagógicas;

Registos criativos.


Ligações
Tradição VS. Contemporânea

Arte - Vida

Local - Global


Partilhas, trocas, confronto entre gerações, geografias a saberes diversos.

Produções Próprias

Ciclo " Saber das Mãos"
Olaria - Cestaria - Tecelagem - Embutidos

Formato base:

Designer / Artesão

Diálogo

Espectáculo

Registo "Documentário"

Ciclo de Cinema

Exposição ( Lugar, pessoas, objectos, utensílios, produtos)


Espectáculos

Com pré - escolar - A partir de oficinas de objectos e histórias locais
Com o pré - escolar e maiores de 65 - A partir das experiências de cada grupo
Com o 1º Ciclo - "Uma hist´ria para continuar...", Com a Este

Actividades

Chocalhos - Oficina "Tricotar para vestir as ovelhas friorentas
Cale - Laboratórios criativos e mostra de trabalhos
Olhares - Programa de registos criativos ( filme, escrita, audio, fotografia...)

Projectos em acolhimento

Festival Y

Festival Imago

Teatro Agosto

Espectáculos ( música, dança, teatro, perfomance)


Exposições de Arte Contemporânea

Exposições de produção própria, em relação aos conceitos da Moagem;

Exposições em parceria com instituições como a Fundação Calouste Gulbenkian e o Museu do Serralves.

Serviços Educativos

Actividades Permanentes
Visitas às exposições
Visitas ao edifício

Diálogos / Formação / Ciclos
Artistas e / ou conceitos em exposição
Iniciação às linguagens artísticas contemporâneas
Contacto com os processos de criação
Encontro com as escolas
Workshops

Actividades em Férias
Natal
Carnaval
Páscoa
Verão

Actividades Contínuas

Mensalmente
"Oficina dos mins" - Expressão plástica - familias
"As memórias na mala" - Expressão plástica - Séniores
"Derivas" - Conversas a partir da arte - >14
"Mil coisas num Som" - Som - >14
" As histórias que somos" - Movimento - Séniores
"Conforme é o toque assim é a dança" - Baile

Workshops

Semanalmente
Ateliers Plásticos Criativos - desenho, escultura e pintura (3ªs Feiras) - >12

Actividades Contínuas

Escolas - Oferta permanente mediante marcação

Visitas às exposições;

Visitas ao edifício;

Formação para professores;

Projectos pedagógicos;

Iniciação às linguagens artísticas contemporâneas;

Espectaculos e Oficinas.



17 Comments:

At 16 de dezembro de 2006 às 23:40, Anonymous Anónimo said...

Tanto destaque para uma inauguração na Cova da Beira?
Compreende-se que ande por aí algum bichinho ansioso, à espera de ver satisfeitas velhas expectativas.
O dinamismo, tal como o dinheiro, está muito mal distribuído...
Ora toma! Na mouche.

 
At 16 de dezembro de 2006 às 23:43, Anonymous Anónimo said...

Não estranhem!
Esta é a minha cultura!

Sim, porque na Quinta da Ponte a única cultura que existe é a das Batatas!!

Pensavam vocês que eu me iria preocupar com grandes concertos, exposições, actividades culturais de qualidade, etc..???

Isso não dá votos!!!

O que dá votos é a cultura da Batata.

Senão vejamos.

Mandei fazer fundações que vai abrir no dia de «são nunca», exposições, feiras e concertos cuja qualidade mais se assemelhava a uma Batata podre, muito bolorenta e mal cheirosa.

Mas apareceram os meus amigos animais e restantes servos, dizendo que gostavam muito daquilo que eu mandei fazer.

Mandei modificar um galinheiro aquele dos celeiros que não servem para nada a não ser para albergarem exposições fanhosas, mas a Isabel do Eça de Queiroz, não quer vir inaugurar!!!
Ainda quis convidar o PR, mas este já não é o S...!

Pensavam que aquilo ia ser o quê???.

Um banco???
Queriam mais?
Mudem-se!!!
Eu sou assim.
Inculto e sem querer saber de mais nada.

Querem música?
Então tomem com a cabra Carreira!

Querem exposições?
Levem lá com os bordados.

Querem animação?
Vão ao mercado e ainda apanham com uma pedra da muralha!!!
Sim, porque ela está a cair e eu não faço nada.
Aliás aquela merda só atrapalha e devia ser destruída como eu fiz com a Ponte.

Querem criações artísticas?
Vejam as minhas rotundas lindas.

Querem espaços culturais?
Vejam as minhas obras faraónicas que nunca vão abrir...

Ainda querem mais???
Querem associações vivas e dinâmicas?
Então procurem outras onde eu não mande os rex policias no dia da inauguração.

Queriam concertos de qualidade?
Vão à Quinta do Cárceres a Portalegre.

Esta é a minha cultura.
Também sei que por vezes duvido de ser Pinto, e penso que sou outro animal, mas porque tenho tomates...


Ninguém me faz frente!
Eu só quero é loteamentos, tanto faz em terrenos agricolas como noutros, pois assim sempre recebo um monte de notas de 500 €urios por baixo da mesa em graveto vivo que, eu não recebo cheques!!!

Chicken, Senhor, Magnânime, Rei, Excelso, Imperador, Divino, Doutor, Crista Real, Governador do Galinheiro, Monarca Despótico e Essencialmente sem Pruridos no Bico

 
At 16 de dezembro de 2006 às 23:52, Anonymous Anónimo said...

Eu também publico comentários anónimos, mas não copio os anteriormente publicados, por muito que o conteúdo se mantenha aplicável.
O comentário que começa com "não estranhem" já o li há alguns dias neste mesmo blogue.
Haja imaginação, ainda que o tempo escasseie!
P.S. (ou seja post scriptum) : não que dizer que não concorde, não é isso...

 
At 17 de dezembro de 2006 às 14:37, Anonymous Anónimo said...

knsdlcnlsdnclsd clsc sldc lkc nslcmsd






















































llllllllllllllllllllllllllllllll
llllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllw





























































































































































































































































weokcfewfkmklmwflewwefwedwedfw feliz natal

 
At 17 de dezembro de 2006 às 15:33, Anonymous J. Francisco S.H.Mendes said...

O Chicken está à espera que o Mário Soares seja "Rei" para vir inaugurar a Fundação António Prates!!!
Vai ter de esperar é séculos!!!
Vão-se habituando ao Cavaco Silva...

 
At 17 de dezembro de 2006 às 17:46, Anonymous Anónimo said...

Qual é a minha politica para a Quinta?
É simples...
Não Tenho!
Pois é...
Todos pensam que eu sou um iluminado divino…
Uma arauto do desenvolvimento, um vidente do futuro, um Messias.
Bem Messias eu Sou.
Sou Deus, até tenho abençoa do do Bispo de Portalegre e Castelo Branco, na próxima procissão dos ramos lá vou estar a segurar o palio, como fazia o Manuel Fernandes no tempo da outra senhora...
Mas não me preocupo muito com a Quinta.
Aqui todos me idolatram e veneram, por isso porquê preocupar-me com questões de menor importância.

Para mim o que a Quinta necessita é de Obras.
Grandes e em Força!
Não importa se são elefantes brancos, ou mal dimensionadas ou até se nem sei o que vou fazer com elas a seguir…
Mas o que é mesmo preciso é que sejam visíveis. E para as tornar mais visíveis ponho lá uns cartazes do mais parolo que conheço.
Mas eu gosto.
Como gosto não admito críticas!
Isso não se discute.

Muitos dizem que as galinhas da quinta deixaram de trabalhar, porque o tratador as despediu e que me competia a mim arranjar e estimular a criação de novas capoeiras. E porquê é que eu devia querer isso? Assim é mais fácil, com elas no desemprego eu controlo tudo… e ainda posso cacarejar bem alto que esta Quinta tem imensos problemas de desemprego… E que eu sou a solução! E eu controlo a solução a meu belo prazer…
E para quem ainda não sabia…
Eu Chicken, assumo: Quero, Posso e Mando!

Chicken, Senhor, Magnânime, Rei, Excelso, Imperador, Divino, Doutor, Crista Real, Governador do Galinheiro, Monarca Despótico e Essencialmente sem Pruridos no Bico

 
At 17 de dezembro de 2006 às 22:24, Anonymous João Silva said...

No fundão da compra do edifício à inauguração passaram 3 anos.
Em Ponte de Sor em quantos anos vai a abro da Fundação António Prates?

 
At 18 de dezembro de 2006 às 10:35, Anonymous JUM said...

Para os que desvalorizam, esquecem, achincalham ou diabolizam a importância crescente de fenómenos como os blogues, aí está a resposta dada precisamente por um órgão de comunicação social de referência à escala mundial, a revista Time, a web 2, a web que é a voz dos cidadãos de todo o mundo, foi eleita a personalidade do ano de 2006.

Quer alguns jornalistas queriam ou não e por mais que olhem de soslaio para os blogues, estes estão a mudar a forma de o cidadão comum se manifestar.
Os blogues poderão não ter vindo para ficar, mas o que eles representam enquanto expressão de cidadania não só marca a sociedade como tenderá a afirmar-se no futuro.

 
At 18 de dezembro de 2006 às 11:55, Anonymous Anónimo said...

A diferença entre o Fundao e a Ponte Sor, e so uma.
No Fundao o Presidente e a vereaçao sao inteligentes e nao embarcam em vendedosres de nada, eles la tem qualquer coisa para colocar e alguem a frente que sabe.
Em Ponte Sor nao ha nada para la colocar a nao ser a sbasofias de alguem, e tb nao s econhece odurriculum de auem vai ser colocado afrente da fundacao fantasma .

 
At 18 de dezembro de 2006 às 18:01, Anonymous JUM said...

A grande diferença entre o Fundão e Ponte de Sor, é que no Fundão a Câmara Municipal é dirigada por um homem bom que trabalha em prol da população que o elegeu o Manuel Frexes em Ponte de Sor o Taveira Pinto trabalha para se encher a ele e os apaniguados dele.
Por estas e por outras é que a Fundação António Prates é a obra de Santa Ingrácia de Ponte de Sor

 
At 18 de dezembro de 2006 às 22:58, Anonymous Lynce said...

Exmo Sr Presidente do Municipio de Ponte de Sor, Sr vereador da cultura, Recem nomeada directora d afundacao da treta,
Nao ofendam a inteligencia das pessoas, tentarem vender a ideia d avcoleccao fantasma do tal sr Antonio, nao me refiro ao Sr Antonio Silvestre que esse sim produz arte quer s egoste ou nao, arte popular.
Agora o tal das serigrafias que ninguem conhece como galerista, basta ver que nunca e mencionado nas exposicoes em Lisboa, porque eles ja entedenram a treta que e .
Ma ssenhores vejam o que se passa neste pais, nao voa ao estrangeiro.
Ha dias um sr GALERISTA ANTONIO BRITO ess sim tinham um espolio fabuloso que esta exposto no palacio do marques em Alges bem recosntruido por quem sabe
e nao como ai nessa coisa do arroz que ningue, conhece o arquitecto
Um conselho derrubem o mamarraxo que nao serve para nada, visto que nao se pode por la uma coleccao ke nao existe
ou entao e como a fabula do rei vai nu

 
At 19 de dezembro de 2006 às 12:55, Anonymous KA said...

Cultura é factor de competitividade regional
Disse Cavaco Silva na inauguração da Casa da Moagem
«Pela cultura é possível fortalecer a competitividade de um concelho», disse Cavaco Silva na inauguração da Casa da Moagem - Cidade do Engenho e das Artes, o novo centro cultural do Fundão, construído a partir da requalificação de uma antiga fábrica de farinha.

Os investimentos na cultura e na requalificação urbana foram a tónica do discurso do Presidente que defendeu serem eles promotores do Turismo e factores importantes de competitividade regional e nacional.

Cavaco Silva discursou no palco do auditório da Casa da Moagem, por entre diversos teares manuais de linho, utilizados no espectáculo musical que recriou as tradições locais e que antecedeu a sua intervenção.

"É o cenário mais original em que já fiz uma intervenção pública", disse o Presidente da República, que recordou o passado cultural do Fundão e a dinâmica das actividades criadas nos últimos anos, como a Festa da Cereja, a Rota dos Escritores ou o festival anual de cinema.
Depois de visitar a Casa da Moagem, o Presidente da República considerou o espaço "um bom exemplo de requalificação e valorização de património degrada do, agora colocado à disposição dos cidadãos, no domínio da cultura e lazer".

"Portugal tem problemas de ordenamento do território", referiu Cavaco Silva, defendendo a aposta em mecanismos para que as autarquias possam requalificar as suas zonas urbanas, em contraponto ao crescimento das zonas periféricas.

"É um investimento mais rentável que a construção desordenada à volta das cidades", sublinhou, considerando estes aspectos do ordenamento do território como factores de competitividade de quem procura Portugal para investir e que d evem ser "uma preocupação do governo e das autarquias".

Os pedidos de Frexes

O presidente da Câmara, Manuel Frexes (que foi sub-secretário de Estado da Cultura no segundo governo liderado por Cavaco Silva), ofereceu ao Chefe de Estado uma manta artesanal em linho.

O autarca pediu ao Presidente da República que intercedesse a favor da Câmara no processo de recuperação do Cine-Teatro Gardunha, antiga sala de espectáculos do Fundão, há muito anos abandonada.

Segundo Manuel Frexes, "há um protocolo assinado, desde o último governo PSD/CDS-PP", que prevê a divisão em partes iguais pelo Estado e autarquia das despesas de aquisição e recuperação, que superam os cinco milhões de euros.

Cavaco Silva respondeu que ia "aguardar pelos documentos" e - acrescentou - "depois pensarei no que fazer".

No edifício hoje inaugurado, funcionou a moagem do Fundão entre 1922 e finais dos anos 80. É um imóvel de três pisos, com dois mil e 300 metros quadrados, e foi a dquirido em 2003 pela Câmara do Fundão. A autarquia investiu cinco milhões de euros na requalificação do espaço que a partir deste mês vai acolher serviços educativos e actividades culturais em permanência.

Abriu com hoje com duas exposições: "Ponto de Fuga", do Museu de Serral ves, e "50 anos da Fundação Calouste Gulbenkian". Para domingo, às 15:00, está marcado um encontro sobre práticas e model os de políticas culturais, com o título "Programar... Algumas histórias...", com António Pinto Ribeiro, autor e responsável por alguns programas da Fundação Calouste Gulbenkian, e Nuno Grande, arquitecto e programador cultural.

 
At 21 de dezembro de 2006 às 17:41, Anonymous Manuel P. said...

Christie`s anunciou
Colecção Berardo vale 316,2 milhões de euros.

Alguem sabe o valor da colecção da Fundação António Prates?

 
At 21 de dezembro de 2006 às 22:25, Anonymous Anónimo said...

Boa Manuel P, a coleccao do tal senhor e parafraseando a cancao" os quadros sao uma miragem do tal senhor"

 
At 21 de dezembro de 2006 às 22:27, Anonymous Anónimo said...

Como se pode avaliar uma coisa que nao existe?
Se querem conhecer as obras do tal senhor, visitem as denominadas galerais para verem o que para la existe.
e um espanto

 
At 24 de dezembro de 2006 às 15:58, Anonymous Pedro Manuel said...

Em especial a venda de «gato por lebre», i.e. ba venda de quadros falsos, em que as suas galerias são famosas no mercado lisboeta.

 
At 24 de dezembro de 2006 às 19:54, Anonymous Lynce Iberico said...

Boa Pedro manuel mas mesmo esses nao prestam, porque ate ja existe um museu em Franca com quadros falsos ma sbem imitados, mas esse senhor nem isso tem, porque todo ele e uma fraude

 

Enviar um comentário

<< Home