terça-feira, 27 de março de 2007

SAÚDE EM MONTARGIL


"Os Verdes" querem mais médicos e meios técnicos em Montargil

O Partido Ecologista "Os Verdes" questionou hoje o Governo sobre a necessidade de melhoria das condições de funcionamento do centro de saúde de Montargil, concelho de Ponte de Sor, com reforço de meios humanos e técnicos

Num requerimento dirigido ao ministro da Saúde, Correia de Campos, a deputada ecologista Heloísa Apolónia considera que o actual serviço prestado no centro de saúde "é manifestamente insuficiente".

Além das "instalações degradadas", segundo a deputada, o centro de saúde de Montargil funciona actualmente apenas com dois médicos, quando já teve o dobro, foi "destituído" de várias valências e tem um serviço de atendimento permanente com um "horário altamente reduzido".

"Estes dados demonstram que o centro de saúde tem perdido qualidade no atendimento e que tem sido fragilizada a resposta relativa a cuidados de saúde à população" de Montargil, num total de quatro mil habitantes, escreve Heloísa Apolónia.

No requerimento, a deputada de "Os Verdes" questiona o governo sobre a sua verdadeira intenção quando "diminui, constante e significativamente, a capacidade de resposta do centro de saúde", em termos de meios humanos e horário de funcionamento.

"Será que a intenção é degradar de tal forma este serviço de saúde para de seguida vir alegar que ele não está a servir adequadamente a população e justificar depois o seu encerramento", pergunta a mesma deputada.

No início deste mês, a população de Montargil protestou, com uma marcha automóvel, contra a redução do horário de funcionamento das urgências e a falta de médicos no centro de saúde.

A iniciativa, que reuniu cerca de 300 pessoas, serviu também para "expressar a revolta popular contra a falta de obras de conservação" na unidade de saúde e para alertar a classe política para a "situação insustentável que se vive em Montargil", segundo António Manuel Teles, porta-voz da Comissão de Utentes.

A mesma comissão exigiu "decisões urgentes", depois de, no início do ano, ter solicitado, por duas vezes, uma audiência ao ministro da Saúde. De ambas as vezes, e até ao momento, não houve resposta.


Lusa

Etiquetas: ,

3 Comments:

At 27 de março de 2007 às 23:59, Anonymous Anónimo said...

Realidade

O Governo vai fechar mais 43 Serviços de Atendimento Permanente (SAP’s).

Para se olhar com mais optimismo
para o futuro !

 
At 28 de março de 2007 às 10:05, Anonymous JUM said...

O ministro da Saúde deve ser uma pessoa muito divertida, só isso explica que confirme o encerramento de dezenas de serviços de atendimento a rir aparentando fazer um esforço para não desatar às gargalhadas.

 
At 28 de março de 2007 às 14:50, Anonymous Monta Gil said...

O grande culpado desta falta de médicos é só um o Dr. Taveira Pinto.
Até hoje depois de abandonar a freguesia para o tacho de presidente da câmara, nunca resolveu o assunto.

 

Enviar um comentário

<< Home