quinta-feira, 5 de março de 2009

NADA QUE SE COMPARE COM OS ESTUDOS DA OCDE QUE NÃO SÃO DA OCDE

O Governo desvalorizou o estudo da OCDE que dá conta que, com a reforma da segurança social aprovada pelo governo, o valor das pensões para quem se reformar a partir de 2030 sofrerá uma brutal desvalorização. A metodologia não é a mais correcta, diz o secretário de Estado.


P.S.

Etiquetas: , ,

8 Comments:

At 5 de março de 2009 às 21:50, Anonymous F.S. said...

Segundo o ministro Vieira da Silva, Portugal passou a ser "um país de pensões viáveis". Não surpreende. Portugal é, também, o país da justiça viável, quando se vê um caso de barcos que serviam de hotéis na Expo'98 a ir agora a julgamento, até porque deve faltar pouco tempo para prescrever. Este é também um sítio de negócios viáveis, como o da Estradas de Portugal, que gastou 1,5 milhões de euros num edifício há dois anos e agora se prepara para o abandonar porque descobriu que não é seu. Portugal é também o país das acções punitivas viáveis, como foi a retirada dos benefícios fiscais a um deficiente porque devia 1,97 euros, coisa que, de resto, nem era verdade. Portugal é um país em que tudo é viável, menos o seu futuro.

Se o facilitismo se tornou a ideologia de vida do País, a resolução dos problemas tornou-se um estorvo. Ninguém já avança directamente para um problema. As verdadeiras questões que corroem o País são agarradas de cernelha. É talvez por isso que já se deixou de analisar seriamente os problemas com que a sociedade se defronta. A dúvida que ressalta do relatório da OCDE é uma: para que é que os cidadãos (e as empresas) continuam a descontar uma fortuna para o Estado, se as pensões hoje são viáveis e amanhã não sabemos? Com o é que se pode pedir a alguém que desconte para o Estado se ele já está a ver que daqui a 20 anos não vai ter dinheiro para pagar os gastos familiares? Sobre isso há um silêncio ruidoso, com o se não houvesse amanhã em Portugal. E, se calhar, não há.

 
At 5 de março de 2009 às 23:23, Anonymous Anónimo said...

Num estudo sobre sistemas privados de pensões, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) põe Portugal, um dos sete países em que o sistema público é o único com relevo, num lugar preocupante: em 2030, quem se reformar passa a auferir 54,1% (a chamada taxa de substituição) do último salário recebido.

Ainda há quem pense que este sistema neo-liberal nos está a atirar a todos para a pobreza? Se hoje este jardim já está no cú da Europa, já é conhecido pelos seus baixos salários, imaginem como vai ser quando daqui a 20 anos formos mais velhos e muito mais pobres. Será que vamos na direcção certa quando caminhamos no sentido de virmos a ficar pior, mais pobres, com muito mais dificuldades? Não há aqui algo que não faz sentido? Não temos é de ir na direcção oposta, numa direcção em que estaremos melhor, em que vejamos melhorar as nossas condições de vida? Não será hora de invertermos a marcha, de começarmos a pensar num mundo de homens e não de números e avareza?

 
At 5 de março de 2009 às 23:54, Anonymous Anónimo said...

Por estas e por outras dia 13 vamos a Lisboa gritar bem alto a nossa indignação.
Dia 13 de Março, 14,30 em Lisboa Manifestação convocada pela CGTP-IN por mais emprego, melhor salários, mais justiça social.

 
At 6 de março de 2009 às 07:30, Anonymous Anónimo said...

E malhemos o Pinto da Bugalheira!!!

 
At 6 de março de 2009 às 19:16, Anonymous Anónimo said...

Então mas essa merda dos Pintos Bugalheiras ainda merecem que se fale aqui neles ??? Não estão prestes a desaparecer ???
Corram com eles por favor...POVO DE PONTE DE SOR.....

 
At 6 de março de 2009 às 22:03, Anonymous J.G. said...

O PS absolutista tem razões que a razão desconhece. Até mandaram regressar os deputados que andavam com Cavaco, na Alemanha, para não perderem uma votação contra as taxas moderadoras em cirurgias e internamentos no SNS, uma invenção do profeta Correia de Campos antes de ser removido para uma justa obscuridade de onde a tvi24, infelizmente, o tirou. Como bons hipócritas bem mandados, entregaram todavia a seguir uma "declaração de voto" onde se "comprometem" a mudar a coisa em 2010. Pobre gente.

 
At 7 de março de 2009 às 19:06, Anonymous Anónimo said...

A culpa é do Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Sor, Dr. João Taveira Pinto.

 
At 8 de março de 2009 às 00:38, Anonymous J.M.M. said...

Caros Amigos.

Vivemos tempos difíceis. Portugal está a bater no fundo. Grande parte vive de esquemas, da corrupção, das vigarices.
Há pessoas, que nos parecem insuspeitas, a manobrar pela calada da noite ... e do dia.
Nós temos de resistir, lutar, denunciar.
Puxem dos vossos galões, não tenham medo.
Portugal e os nossos filhos exigem luta, exigem que tenhamos coragem.
O exemplo devemos buscá-lo em .... Vaclav Havel, ex-membro do Grupo "Carta 77" que lutou contra a opressão, esteve preso, mas triunfou e acabou por ser ...Presidente da República Checa.
Vaclav Havel escreveu, quando preso, peças de teatro, chamado do " Absurdo" , mas cujas mensagens eram e são monumentos de luta e de irreverência cívica e política.

Aqui fica um excerto da Peça "A Petição", que é importante , porque apela a que se passe através do "pântano".

"Stanek
Bem, todos esses protestos, petições, cartas... A luta pelos Direitos Humanos... Enfim, tudo aquilo que está a fazer, você e os seus amigos...

Vanek
Não faço tanto como isso..

Stanek
Não seja desnecessariamente modesto, Ferdinand, estou ao corrente de tudo! Se cada um fizesse o mesmo que você, a situação seria completamente diferente! É extremamente importante que existam pelo menos algumas pessoas que não temam dizer em alta voz a verdade... Tomar partido dos outros... Chamar as coisas pelo nome! Talvez isto soe um pouco patético, mas acho que você e os seus amigos se encarregaram de uma tarefa quase sobre-humana: passar através do pântano em que vivemos, os restos da nossa consciência moral! O fio que estão a tecer é frágil mas talvez seja precisamente nele que está suspensa a esperança da renovação moral do país...
"

In. Vaclav Havel. Audiência, Venissage e Petição, Pág. 186 e 187. Ed. Relógio D´Água".

Portugal está num pântano!
Ergue-te, companheiro e luta connosco! Portugal precisa. Os nossos filhos necessitam, nós não podemos ficar impávidos!

Este Governo não pode hipotecar a nossa independência e o nosso orgulho. Luta" Diz não!

Portugal!

 

Enviar um comentário

<< Home