terça-feira, 1 de julho de 2008

HÁ LIVROS DE "MERDA" E HÁ A "MERDA" DE UM LIVRO! [II]

Meus amigos, se não ouviram nem leram ainda os elogios do Dias Loureiro, o ilustre e tenebroso personagem, há muito escondido das luzes mediáticas, aquele Senhor que nos grandes negócios, nos grandes momentos em que o pessoal da massa está presente, está sempre lá atrás, sempre presente e ainda Conselheiro de Estado do Sr. Silva, aviso-os que as suas declarações podem provocar o vómito.
Estão avisados.



O ex-ministro e ex-secretário-geral do PSD, Dias Loureiro, discursou durante a sessão de apresentação e revelou que a afectividade do actual primeiro-ministro foi a característica que mais o emocionou na leitura do livro Sócrates - o menino de ouro do PS.


O lado dos afectos foi dos que mais me emocionou, o seu amor pela sua terra. Estão em Vilar de Maçado os valores que o amarram à vida. Há duas coisas que não podemos escolher: os nossos pais e a terra onde nascemos. Temos a obrigação de respeitar essa herança, amá-la e transmiti-la, afirmou.
Entre elogios de enorme generosidade sensatez, prudência, coragem e capacidade de liderança, Dias Loureiro classificou Sócrates como um homem trabalhador e um homem de detalhes: Só quem está atento aos detalhes pode fazer grandes coisas. Essa é uma característica dos grandes homens.


Não ficaram emocionados?

Eu fiquei e muito.


K.

Etiquetas: , , , ,

6 Comments:

At 1 de julho de 2008 às 21:16, Anonymous J.Gonçalves said...

Parece que o dr. Dias Loureiro não defraudou as expectativas. Na apresentação da "biografia" do homem que corre "para conhecer as cidades", o conselheiro de Estado e eminente guru do PSD «declarou-se "emocionado" com o "lado dos afectos" retratado na biografia» e «elogiou também as características políticas de Sócrates» tais como «a atenção aos detalhes» porque, acha Loureiro, «só quem está atento aos detalhes pode fazer grandes coisas», «uma característica dos grandes homens.» Loureiro vê em Sócrates um modelo de «sensatez», de «prudência» e de «optimismo». «O optimismo de Sócrates faz muito bem a Portugal», concluiu. Tenho a certeza que Jorge Coelho ou Gilberto Madaíl não diriam melhor. Por isso, é conveniente que Constança Cunha e Sá, no seu Cartas na Mesa, pergunte a Manuela Ferreira Leite se também entende, como a sumidade citada, que "Sócrates faz bem a Portugal". É que, pelos vistos, o que verdadeiramente faz mal a Portugal é a falta de vergonha.

 
At 1 de julho de 2008 às 21:18, Anonymous JAM said...

A face conflituosa do Bloco Central, brincando à espuma dos dias, vai-se acusando entre desonestidade intelectual e o mais incompetente do mundo. A face de paz celestial da direita dos interesses prefere o menino de ouro, nessa bela operação de propaganda, segundo a qual a boa propaganda deve parecer antipropaganda. Logo, Vitorino e Loureiro, numa sala onde não estiveram presentes José Miguel Júdice nem Daniel Proença de Carvalho, transmitiram as emoções do dia de ontem.
Por mim, apenas me lembrei de uma velha história de infância, passada na Rua das Taipas do Porto, quando eu tinha três anitos e ouvia constantemente uma história dos vizinhos do lado, sobre o gaiato meu colega de brincadeira que, devido aos tratamentos a que a mãe foi sujeita para poder dar à luz, diziam sempre que o meu coleguita era um menino de ouro, por tanto ter custada que, em termos financeiros, valia o próprio peso em ouro.


Contam-me que cá o autor destas memórias, quando ainda não sabia o que era uma metáfora, decidiu um dia cumprir o científico método da experimentação, verificando com um pequeno alicate se o colega era mesmo feito desse metal precioso e tratou de fazer a prova de forma um pouco violenta e de que, naturalmente, me arrependo. Sei apenas que cheguei à conclusão que ele era feito da mesma massa de todos os outros que berram quando lhe apertam as carnes.


Desculpe-me, engenheiro Sócrates, mas, consigo, quase acontece o mesmo perante a prova que nos é dada com o fim do estado de graça. Daí que o compreenda, emocionadamente, especialmente quando noutro dia, em Beja, ao visitar um hospital se encontrou uma médica, ou uma paramédica, que se assumiu corajosamente como sua fã. As palavras que deixou cair foram o melhor comentário da encruzilhada que o amargura: "ao fim de três anos de governo, ainda há, afinal, quem goste de mim..."

 
At 1 de julho de 2008 às 21:39, Anonymous L.Carvalho said...

O menino de lata do Partido Socialista

Eduarda Maio que fazia aquele programa " O juiz decidiu está decidido!" e alguns fóruns populistas da TSF rendeu-se aos encantos do poder socrático e lançou ufffffffff! um livro sobre o menino de ouro do PS.
Já a tia Agustina tinha escrito o menino de ouro dedicado ao Sá Carneiro.
Tudo bem.
Cada um tem o direito a escrever sobre e quem quiser, e o facto do padrinho Dias Loureiro ter aparecido a apresentar a laudatória também se explica.
Dias Loureiro, Jorge Coelho, Ferro Rodrigues, são amigos e já têm laços familiares.
O centrão começa nos negócios, contamina as famílias e acaba na política para voltar aos negócios.

É o sistema.

Espero só que Eduarda Maio tenha entregue a sua carteira de jornalista e era bom que nunca mais a usasse.
Ficava-lhe bem e o jornalismo agradecia.

PS: Parece que Eduarda Maio é sub-directora de informação da RDP.
E eu é que sou burro ???
E a ERCS não se pronuncia agora?
E a comissão da carteira ?
E o sindicato ?
E a oposição ?

 
At 1 de julho de 2008 às 21:47, Anonymous António B. Caldeira said...

Cenografia
O contexto de José Sócrates é de perigosa repulsa da preferência dos cidadãos, estando o PS, quando faltam quinze longos meses para a eleição, à beira de perder a preferência dos leitores: a Sondagem Intercampus/TVI de 27-6-2008, indica o PS com 36,3%, o PSD com 34,9%; Bloco de Esquerda com 13,4%, PC com 10,1% e CDS/PP com 4,2%. Isto é, o PS socratino tem apenas 1,4% de vantagem e está a ser esmagado pela tenaz do Bloco de Esquerda e PC.

Vale, portanto, a diversão da notícia do pseudo-atentado sobre José Sócrates. Veja-se o CM de 28-6-2008:

"Cerca de 20 minutos depois de José Sócrates ter abandonado o Pavilhão Arena em Portimão foram ontem ouvidos seis disparos. Os projécteis foram disparados para o ar (...)
O Presidente da Câmara de Portimão, Manuel da Luz, desvalorizou o incidente, atribuindo-o a indivíduos que costumam disparar contra placas de sinalização.
Na altura dos disparos, Sócrates já se encontrava perto de Albufeira, a cerca de 20 quilómetros do local onde ocorreu o incidente."


Tiros para o ar (de que infelizmente resultou um morto) em Évora, à passagem da caravana na campanha eleitoral para as presidenciais de 1976, e o desafio do candidato que subiu para o tejadilho do carro para demonstrar que não os receava, contribuíram para a eleição do major/graduado em general António Ramalho Eanes. Os atentados aumentaram a popularidade e a fama das vítimas sobreviventes, como Salazar, Hitler, de Gaulle, Fidel, Reagan, Thatcher, João Paulo II, Aznar - fora casos mais nebulosos, como os de Perón, Nasser, Imelda Marcos e Chávez.

O socialista Manuel da Luz, presidente da CMPortimão, não deve desvalorizar o temível atentado de 27-6-2008 contra o primeiro-ministro José Sócrates... É que, se a arrogância não rendeu, tem de valer a vitimização. O ministro Rui SIS Pereira disse ao JN de 29-6-2008, que o autor dos disparos "não passará impune". Chamem a polícia!...

 
At 1 de julho de 2008 às 22:48, Anonymous R.V. said...

Hoje vou poupar € 4.885,60

Vou aproveitar o subsídio de férias e a redução do IVA em 1% para fazer umas compritas.

* Audi A8 W12 B6: valor antes do IVA: € 397,710.00 - poupo € 3,977.10

* Barco Bavaria 37 Cruiser: valor antes do IVA: € 90,850.00 - poupo € 908.5



À conta do nosso generoso governo vou poupar € 4.885,60.

Obrigado Sócrates!

 
At 11 de julho de 2008 às 17:07, Anonymous Anónimo said...

Esta obra e boa para a RENOVA aplivar em papel higienico

 

Enviar um comentário

<< Home