segunda-feira, 23 de junho de 2008

EDUCAÇÃO...SEGURANÇA ESCOLAR

Da TSF, hoje:
Na 4ª Conferencia Internacional sobre Violência nas Escolas e Políticas Públicas, que decorre na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, a ministra da Educação disse que o país tem de ter a noção de que existe uma distinção entre violência escolar e indisciplina.
Enquanto os fenómenos de violência estão circunscritos, os casos de indisciplina são mais generalizados. Para intervir precisamos de um conhecimento aprofundado desta distinção, disse.

Conclusão prática e segura, derivada da confissão da ministra da Educação, Lurdes Rodrigues:

O Ministério da Educação deste governo, perante notícias alarmantes que já vinham a avolumar-se há meia dúzia de anos, sobre violência escolar ( aqui denunciada pelo CDS), não sabe ainda distinguir a violência, da indisciplina. Precisamos de um conhecimento aprofundado, diz a ministra. Estatístico, por suposto…

O seu ajudante, Valter Lemos, em 25 de Março de 2008, na TSF, ( entrevista aqui transcrita) tinha apresentado um panorama um pouco diferente, em que estes desconhecimentos estruturais, não constituíam problema. Tinha estatísticas para mostrar…assim:

O Ministério da Educação, como se sabe, tem tomado um conjunto muito vasto de medidas, que já permitiu uma diminuição de 35% das ocorrências nas escolas no último ano lectivo em relação ao anterior.
É o caso da criação dos coordenadores de segurança dentro das escolas, da constituição de Equipa de Missão para a Segurança Escolar, do reforço do programa Escola Segura, da colocação de 300 professores nas comissões de protecção de crianças e jovens em risco, o que aliás nunca tinha acontecido em Portugal...
Portanto, não me parece de todo que haja qualquer razão para criticar a acção do Ministério, na medida em que esta é visível e produz efeitos.
(…)
Às medidas que já mencionei, podemos acrescentar a vigilância electrónica ou o cartão do estudante, no âmbito do Plano Tecnológico da Educação, ou a alteração do Estatuto do Aluno, que reforça a autoridade dos professores e a capacidade de intervenção dos órgãos de gestão das escolas...

Mesmo assim, as Escolas portuguesas e o Ministério da Educação, ainda não sabem como lidar com o fenómeno.
A prova, reside neste comentário de pais de alunos de uma escola- Mafra- onde se coloca o problema de raiz: quem lida directamente com os casos de violência e/ou indisciplina?

Não será muito arriscado afirmar que…ninguém, à partida. Tudo segue o caminho do improviso e da desresponsabilização.
Se assim não fosse e houvesse uma verdadeira consciência cívica da parte dos professores e funcionários das escolas, não era precisa para nada, a criação de uma nova figura institucional nas escolas: o delegado ( ou coordenador) de segurança escolar!
A que acresce, agora, mais uma inovação de vulto: a introdução de mediadores e monitores, para o mesmo fim!!!

Leiam, e pasmem! E conclua-se, mais uma vez, que este Ministério anda ao sabor do improviso, da negação das evidências e das estatísticas na mão, para europeu ver.
A essência da compreensão dos fenómenos; a simples institucionalização do bom senso e a adopção de medidas práticas e eficazes, esbarra sempre com estes conceitos burocratizantes e problemáticos, próprios de quem nunca verdadeiramente ensinou ou educou.
Próprios, antes, de quem sempre tomou conhecimento destes assuntos, pelos livros e aulas de sociologia, ensinada no estrangeiro de costumes sociais diferenciados e alheios.
Uma desgraça nunca vem só.
Neste caso, vem em equipa.


José

Etiquetas: , ,

5 Comments:

At 23 de junho de 2008 às 21:08, Anonymous Anónimo said...

Ao ouvir essa notícia no telejornal, a minha expressão foi exactamente "grande cara de pau, falta de carácter, um político é capaz de tudo...".
Foi um comentário irreflectido, espontâneo mas e talvez por isso verdadeiro.
Em política diz-se e desdiz-se com a maior das facilidades e sem pestanejar, mostrando uma infindável falta de sentimentos, de personalidade. Não admira que haja um desprezo tão grande pela classe política. É que ainda há pessoas de carácter em Portugal.

 
At 23 de junho de 2008 às 21:43, Anonymous Anónimo said...

A ministra é completamente parva. Só me admira como ainda fazem caso do que ela diz...

 
At 24 de junho de 2008 às 10:17, Anonymous Anónimo said...

boas amigo parabens pelo blog podes publicitar isto da parte do blog canoonline.
Obs João mota

http://canoon.orgfree.com/mota/petiscano.swf

em flash 500 por 500

tanks mota

 
At 24 de junho de 2008 às 22:57, Anonymous J.L.F. said...

Com gente desta a dirigir o ME, o que se podia esperar!
A corja socialista no seu pior!
"Pobre país o nosso entregue a tal gente!"

 
At 8 de agosto de 2008 às 20:37, Anonymous Anónimo said...

Estas cenas de violência existem há muito tempo, noutros países não só em zonas problemáticas, lembro-me de ver, há alguns anos, vários filmes onde era este o asunto. Não apredemos nada com os outros, estão mais avançados que nós.

 

Enviar um comentário

<< Home