terça-feira, 27 de setembro de 2005

AUTÁRQUICAS 2005

JERÓNIMO DE SOUSA
EM CAMPANHA NO CONCELHO
DE PONTE DE SOR


No arranque da campanha eleitoral para as eleições autárquicas de 9 de Outubro de 2005, Jerónimo de Sousa visita hoje o concelho de Ponte de Sor no âmbito da campanha da CDU para a autarquia de Ponte de Sor.

11.00 h - Montargil

11.45 h - Ponte de Sor, campanha de rua

13.00 h - Almoço com eleitos, activistas da CDU e comunicação social

14.30 h - Galveias



4 Comments:

At 28 de setembro de 2005 às 09:20, Anonymous Anónimo said...

Campanha comunista arranca em terras alentejanas

Jerónimo de Sousa luta por mais votos e mais mandatos nas autárquicas

A CDU quer obter mais votos e mais mandatos nas autárquicas. É este o objectivo fixado por Jerónimo de Sousa, no primeiro dia da campanha, por terras alentejanas.

Às primeiras palavras de Jerónimo de Sousa, em Montargil, percebeu-se logo como vai ser o tom desta campanha: a CDU fala de autárquias mas pede um voto "2 em 1".

Depois de Montargil, Ponte de Sôr foi a paragem seguinte. Jerónimo quer reconquistar a Câmara que já foi da CDU. Uma das 21 que a coligação perdeu em oito anos.

Campanha ao estilo da CDU

O primeiro dia de campanha foi modesto. Jerónimo diz que é esse o estilo comunista: contacto directo com as populações em vez de grandes eventos. E, assim, lá foi de porta a porta, distribuindo beijinhos e apertos de mão.

A CDU luta assim por mais votos e mais mandatos nas autárquicas.

SIC Online

 
At 28 de setembro de 2005 às 09:24, Anonymous Anónimo said...

Jerónimo de Sousa quer mais votação e mandatos para a CDU

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, considera um bom resultado nas eleições autárquicas de dia 9 o reforço de votação e de mandatos, minimizando a contabilidade de mais ou menos câmaras ganhas.



No primeiro dia oficial de campanha eleitoral para as eleições autárquicas de dia 9 de Outubro, Jerónimo de Sousa esteve esta terça-feira em Montargil e depois Ponte de Sôr, um concelho governado pelo PS e que a CDU quer reconquistar.
Em Ponte de Sôr, depois de percorrer várias ruas cumprimentando pessoas, disse que, embora a avaliação dos resultados autárquicos se faça muito em termos de câmaras ganhas, para a CDU o fundamental é quantificar os votos na coligação PCP/Verdes para, com maiorias ou minorias, ajudar a resolver os problemas da população.

Numa primeira acção de campanha modesta, com Jerónimo de Sousa a garantir que esse é o estilo da CDU e que se quisesse podia fazer uma grande iniciativa para este dia, Jerónimo de Sousa passeou pelas ruas de Ponte de Sôr, entrando em cafés e lojas e cumprimentando populares, a quem por norma desejou felicidades.

O líder dos comunistas não suscitou muito entusiasmo mas ainda assim foram muitas mais as palavras de incentivo que ouviu do que criticas.

Mariano Sabino dos Santos, 84 anos, antigo funcionário público, comunista assumido, foi um dos primeiros exemplos, ainda na sede da coligação.

Garantindo que não estava a dar «graxa» teceu rasgados elogios a Jerónimo de Sousa, dizendo que em Ponte de Sôr se fala dele com respeito, até por parte dos adversários políticos.

«Vais ter uma votação muito superior ao que muitos julgam, sou velho e os velhos têm grande experiência», disse ao líder partidário, explicando o porquê de tanta fé: «tu és modesto» e «apareces já como uma figura de reconhecido mérito».

Jerónimo de Sousa, entre sorrisos, garantiu que não se envaidecia com tantos elogios, mas sim que se sentia grato, partindo depois para outros contactos, com meia dúzia de apoiantes com bandeiras a apoiá-lo e, pela primeira vez, distribuição de canetas da coligação.

E no final ainda deixou algumas críticas aos adversários autárquicos do PS, o partido que tem sido o principal alvo na pré- campanha.

É que os candidatos do PS fazem promessas em todo o país de emprego mas estão a entrar numa «contradição insanável». Porque, justificou, o próximo orçamento de Estado e cortes no PIDDAC (Plano de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central) levarão a que os autarcas não possam cumprir as promessas.

E finalmente, comentando o facto de o PS, com José Sócrates, começar a campanha eleitoral num concelho CDU, em Moura, Jerónimo avisou que o primeiro-ministro parece querer usar o seu peso político para ajudar a conquistar a câmara, mas pode voltar-se o feitiço contra o feiticeiro.

Diário Digital / Lusa

 
At 28 de setembro de 2005 às 09:26, Anonymous Anónimo said...

Jerónimo de Sousa visita uma freguesia pouco comum

Galveias tem menos de três mil habitantes, é mais rica que muitas câmaras e a igreja até é profana

O secretário-geral do PCP visitou esta terça-feira uma igreja em Galveias, Ponte de Sôr, algo pouco comum vindo de líderes comunistas, embora a freguesia seja também pouco comum: é mais rica que muitas câmaras e a igreja até é profana.

Galveias tem menos de três mil habitantes e é governada pela CDU, que nas eleições de 9 de Outubro, nas palavras de António Augusto, presidente da Junta de Freguesia, quer reforçar a posição e conseguir a maioria absoluta.

Galveias é uma freguesia muito disputada, explicado pela autêntica fortuna que gere, e as suas assembleias de freguesia são sempre muito concorridas.

Se do orçamento de Estado recebe 60 mil euros («não chega para pagar ao s funcionários», assegura António Augusto), faz em cortiça cinco milhões de euros a cada nove anos e gere ainda quatro prédios em Lisboa, todos em zonas consideradas nobres. Depois, acrescente-se-lhe milhares de cabeças de gado, um lagar, lojas...

Os menos de três mil habitantes, segundo as palavras de António Augusto , deverão ter razões para estar felizes: este ano, como á pessoas que têm oliveiras, e para não terem que transportar a azeitona e ficar à espera do azeite, «a Junta fez um lagar e assim as pessoas levam lá a azeitona e vão dormir descansadinhas».

As estradas, todas alcatroadas, também foram feitas pela Junta, que dá emprego a 130 pessoas e que abriu recentemente uma loja de produtos «quase 100 por cento biológicos», onde todas as semanas mata vacas e porcos para abastecer a população.

António Augusto não tem dados, mas acredita que Galveias é a freguesia mais rica do país. Mas não é graças à gestão da CDU ou de outros partidos, pois a razão de tanta riqueza está numa herança que a Junta recebeu há vários anos.

«Havia uma família muito rica em Galveias (Marques Ratão) e era política naquela altura que só se podia casar os filhos com pessoas que tivessem o mesmo estatuto. Mas a família era tão rica, tão rica que não deixaram que nenhum dos filhos casasse», pelo que em testamento, por não haver descendentes, o património ficou para a Junta de Freguesia, explicou António Augusto.

Se Galveias é provavelmente a freguesia mais rica do país é também provavelmente a única que tem no centro da localidade uma igreja que foi declarada profana pela Igreja.

E se para a origem da riqueza de Galveias há explicação, a mesma já não é tão fácil de encontrar para a igreja. O presidente da Junta admite que se deva ao facto de ali se terem realizado reuniões de republicanos, ou por ali se distribuírem senhas de racionamento durante a guerra civil de Espanha, ou seja, a igreja poderá ter sido considerada local de encontro de inimigos do Estado.

Embora sem ali se realizar missas ou outros actos solenes, a igreja, monumento nacional, foi reconstruída, obviamente pela Junta de Freguesia, e serve hoje de capela.

Foi essa capela, monumento nacional, que Jerónimo de Sousa visitou, no primeiro dia de campanha eleitoral. Mas se fosse uma igreja mesmo, Jerónimo de Sousa também poderia entrar. Porque a CDU e ele em particular não têm qualquer preconceito em relação à Igreja, como explicou.

Portugal Diário

 
At 28 de setembro de 2005 às 12:31, Anonymous Cambada de pulhas said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 

Enviar um comentário

<< Home