quarta-feira, 28 de setembro de 2005

AUTÁRQUICAS 2005

Um ditador disfarçado de democrata:
Taveira Pinto, pois claro!!!


Taveira Pinto é um resíduo da democracia.
É um erro da vida política local e distrital.
É um desvio à norma, é uma patologia política, é um quisto da democracia. Isto é um lugar comum.
Todos o sabemos, e todos gostamos de o ver e ouvir só para nos divertirmos.
Esta farsa tem um pico que coincide com o carnaval - em que o visado assume a sua verdadeira identidade.

Agora vem dizer à turba que ou as autarquias que não são da côr alinham com ele ou não mamam dinheiro algum da Câmara Municipal de Ponte de Sor.
Em democracia - isto é execrável.
Não é uma nódoa, é uma mancha na política à portuguesa.
Mas ele é o veterano lá do burgo.
É o rei dos reis locais, o cacique-mor;
Um red neck populista, como um dia alguém lhe chamou, enchouriçado em meia dúzia de balelas que a turba local gosta de ouvir.
Ficam todos com a ilusão de que têm poder, são importantes e lutam contra a capital do distrito, o inimigo a abater.
Taveira Pinto é, pois, o vociferador do discurso radical que debita bites e bytes para agradar ao homem do talho, ao taxista e aos patos-bravos indígenas que se revéem naquele pobre espírito fantasioso, circense, brilhando psicadélicamente como se estivesse permanentemente num cabaret.
Será isto a Política?!
Julgo que não.

Os inimigos de Taveira Pinto são sempre os mesmos: os comunas.


Confesso que ouvir Taveira Pinto a falar já é pior do que ver o Castelo Branco a debitar adjectivos em directo na TV.
O homem ofende toda a gente, vocidera contra tudo e contra todos.
Taveira Pinto dá rosas cheias de espinhos.

Taveira Pinto é, de facto, uma aberração da democracia. Ainda assim garante um séquito de apoiantes indefectíveis na classe média, a quem garante os empregos e estão dispostos a andar à pancadaria só para proteger o boss. É óbvio que estes fretes trazem compensações, e são bem pagos.
À custa do erário público que o sr. Taveira Pinto gere a seu belo prazer
.

É a toque de caixa por um lado, e a prémios e a distribuição de favores e benesses por outro, que este ditador disfarçado de democrata fixa os votos locais na sua manápula assambarcadora. Eis o que o preocupa: caçar votos. Este é o lema do cacique dos caciques - que o Partido Socialista tem pago com juros ao Taveira Pinto de Ponte de Sor do sr. Taveira Pinto.
Mas so far so good.
O estranho é que tenha sido Cavaco Silva que lhe tenha cortado a ração, e Guterres quem lhe abriu as torneiras, reforçando as dotações para o burgo de Taveira Pinto.

Pergunto-me quantos milhares de pessoas, só por aturarem as calinadas do sr.Taveira Pinto, vão votar no próximo dia 9 de Outubro de 2005, para o meter na ordem?
Devem ser aos magotes, certamente. Julgo, aliás, que as bacuradas do sr. Taveira Pinto têm, afinal, uma razão de ser que passarei a explicar.

Deve ter havido uma negociação prévia entre o sr. Taveira Pinto e o Secretariado Técnico para o Processo Eleitoral (STAPE) para que aquele outorgante diga, de quando em vez, umas enormidades para agitar as consciências e animar a malta, com o fito de reduzir a abstenção nas próximas eleições autárquicas.
É como se a Teresa Ricou, a "Té-té" - a mulher palhaço - fizesse mais um número de circo para atrair clientes e receitas à sua escola.
Muito meritória por sinal. E tem palhaços verdadeiros e mui profissionais, que distinguem o momento da representação do momento da ficção de tudo o resto, que é muito pouco. Há, porém, quem não consiga estabelecer essas fronteiras e só diga vitupérios da boca para fora que faz com que cada português, visto do exterior, se sinta ofendido por ter a nacionalidade daquele senhor que já devia ter largado o poder do concelho de Ponte de Sor há anos.
Haja, pois, quem a liberte.

E o que poderá dizer José Sócrates das babuseiras de Taveira Pinto?
A contas com uma data de guerras intestinas abertas e em curso pelo País fora?
A Fátima Felgueiras desafia-o a "sair das tamancas" em que está montado, só faltou prometer-lhe porrada em pleno directo, e dar-lhe umas facadas sul-americanas à chegada a Felgueiras.

Bom, eu só espero é que os eleitores não sejam parvos desta vez e abram bem os olhos, e pensem uma coisa comesinha: é que o Orçamento Geral de Estado não se traduz num concurso de mau gosto do sr. Taveira Pinto, e também não é elástico.

Ora isto é tão grave e desprestigiante para a nossa dignidade democrática, adensada com a impotência de Sampaio e de José Sócrates em fazer algo decisivo para pôr o “cadilhe” na ordem - que espelha a vergonha de todos nós.

O Sr.Taveira Pinto sempre governou com uma fonte principal de poder, que ele administra e doseia consoante as simpatias, os apoios e os interesses pessoais e políticos do momento. Sempre os seus, depois os seus. Esse poder traduz-se em dinheirinho vivo, "maçaroca", "pilim" - que é o quinhão resultante do assalto ao OGE e dos impostos de todos nós que servem para ele fazer um figurão na aplicação desses investimentos públicos financeiros que, segundo ele, só são para distribuir aos filhos legítimos, excluindo todos os outros.
...Cada um tem o nome que tem.



Pedro Manuel

19 Comments:

At 28 de setembro de 2005 às 14:24, Anonymous Anónimo said...

Sou de Montargil, mas voto na Moita. Obviamente, uma parte da decisão do voto, a nível local, variável conforme as circunstâncias, tem de ter a ver com pessoas e políticas a nível central. Não concordo, ou melhor, estou bem sentido, como tanta gente, com as decisões do Governo PS (veja-se, a este propósito, a pág. 8 do DN de ontem - A Fatal Concorrência de Badajoz). A outra parte tem a ver com a política e as pessoas a nível local. Na Moita, a seguir a 25 de Abril de 1974, também os melhoramentos eram quase todos para a sede do concelho. Mas, não tem sido assim nos últimos anos. Vou portanto votar CDU. E, se votasse em Montargil fazia o mesmo.

 
At 28 de setembro de 2005 às 14:39, Anonymous Anónimo said...

Não sou daqueles que criticam só porque não têm outra forma de apresentar ideias, entendo que em questões de política local tudo é subjectivo no que diz respeito ás caracteristicas pessoais de cada candidato. No entanto, para além dos nossos legítimos juízos de valor que temos de cada um, era importante avaliar o projecto político e as qualidades técnicas dos candidatos.
Se o priorado do actual executivo é sobejamente conhecido, surgem outros dois candidatos: da CDU e do PSD. Ora, a gestão autártica, os métodos e a ortodoxia retrógeda dos primeiros leva a escolher como única alternativa o PSD. O PSD é o único que não foi executivo, mas é aquele que congrega e representa o verdadeiro interesse da causa pública, juntando a uma equipa coesa sem sensacionalismos um enorme sentido de credibilidade e de projectos.
È por isso que é mesmo tempo de mudar...

Um Independente

 
At 28 de setembro de 2005 às 15:01, Anonymous Anónimo said...

Não podemos todavia esquecer a realidade, nomeadamente histórica e sociológica, amigo independente. E, se não estivesse escaldado, embora,feliz ou infelizmente, haja sempre quem o não esteja, até propunha uma sondagem. Não uma aposta. Sendo que o que tem de ser tem muita força.

J

 
At 28 de setembro de 2005 às 15:25, Anonymous Fernando Sobral said...

Se nas eleições presidenciais se poderá decidir que políticos ganharão o prémio final, nas autárquicas pode jogar-se a sorte da terminação.
A diferença de prémio é grande.

Para alguns dirigentes as câmaras serão, no entanto, a raspadinha do seu futuro.
Pense-se em Marques Mendes.
Se o PSD vencer Lisboa e Porto e chegar à meta eleitoral com um confortável avanço em termos do número de câmaras, poderá ir para um "spa" nos próximos meses fazer uma cura de fôlego:
as presidenciais seguem dentro de momentos.

Para Sócrates as autárquicas são a sua primeira aposta em Las Vegas: atira metade das fichas para cima da mesa.
Se perder, a outra metade colocará em Soares nas presidenciais.
Se não ganhar, que fichas sobrarão para Sócrates?
A acção governativa terá de gerar crédito.

E, a acreditar na economia e na agitação social, o mais provável é que tudo o que lhe correr mal, correrá pior.
Como na Lei de Murphy.
A nova Lei de Sócrates.
Este terá, entre as autárquicas e as presidenciais, um duelo de bisnagas com Marques Mendes.

Nenhum perecerá fisicamente.
Um deles poderá desaparecer politicamente.
Vivemos numa democracia e o pôr-do-sol, em termos políticos, pode ser uma arte.
Resta saber quem, após estas eleições, perceberá o seu papel num quadro que poderia ser de Turner.

 
At 28 de setembro de 2005 às 17:36, Anonymous Joana Silvestre said...

Chamar ditador a este senhor ainda é pouco...

Devia ser mimado com os nomes que ela chama aos outros...

 
At 28 de setembro de 2005 às 18:51, Blogger JoaquimMarquesMachoqueira said...

O ANÓNIMO

Não tem nome,
Não se vê;
Com pronome
se revê.

É prudente,
E provoca
Quem se sente.
É voz oca?

É o povo,
"Zé povinho",
Que do ovo
Sai; sozinho.

Diz mentira?
E quem mente
E retira
claramente?

Diz verdade?
Não se cale.
Há (c)idade
Que se rale.

 
At 28 de setembro de 2005 às 19:14, Anonymous JPC said...

Autárquicas 2005

Sabemos que as listas para os órgãos autárquicos já estão afixadas na Câmara a algum tempo, mas também sabemos que a maior parte de nós não se desloca a esta instituição de propósito para ver as respectivas lista.

Como de um cordeirinho se tratasse, o PS, nestas eleições diz que devido á crise que país atravessa não orçamentou verbas para fazer uma campanha gastadora e tradicional, pois sim, vamos ter uma campanha muito poupadinha ou não será a arrogância de quem pensa já ter vencido antes das eleições? Corrigir-me-ão, mas penso que só hoje é que efectivamente a maioria dos Pontessorenses tiveram conhecimento da verdadeira lista para os órgãos autárquicos do PS. Também não é para menos com a dificuldade para a fazer, não era de esperar outra coisa! Ora entra um, ora sai outro, é que os amigos são muitos e temos que conciliar bem as amizades e influências.

JPC

 
At 28 de setembro de 2005 às 19:19, Anonymous Anónimo said...

O engraçado é que todos acham que o homem não presta, que é um quadrupede, que favorece e bem os compinchas, que tem uma visão da capoeira que mete dó e continuam a votar nele? Esperem que lhes toque à porta o aturar a sua clara prepotência, a arrogância e depois é vê-los a dizerem mal do pobre ruminante. Coitado. Tem feito obra? Deveria ter sido presidente do burgo Há Vinte anos e sem dinheiro a cair a rodos se veria a obra. A res não controla nem as despesas da Câmara. Se não houvesse dinheiro ver-se-ia. Ah! Claro que a culpa seria do Amante. E não falo por falar, também tenho votado PS.

 
At 28 de setembro de 2005 às 19:29, Anonymous Anónimo said...

Vejam bem que até o Mané Comunista entra na lista! Quem não se lembra dessa personagem andar a gritar nas ruas de Ponte de Sor com uma bandeira preta” A Terra a quem a trabalha” “ O Povo unido jamais será vencido”.
Agora é xuxialista! Obrigado! Fez amizade com o irmão do Pinto nos bombeiros, o Pinto meteu o filho na câmara, são as máquinas da câmara a fazer-lhe favores, assim qualquer um é xuxialista.

 
At 28 de setembro de 2005 às 23:18, Anonymous Anónimo said...

Alguém aqui atrás falou do orçamento reduzido para a campanha eleitoral. Aliás, T Pinto há dias na publicação "Ecos do Prior", tambem faz alusão ao preço dos pendões e dos painéis RED, como quem diz: os comunas têm um montado junto ao Modelo(300contos) os Pê Ésse Dês têm dois(600contos. Eu sou sério. Sou poupadinho.

Mas sabiam vós que o democrata T Pinto se desloca no veículo da Cãmara para ir às freguesias fazer campanha? E o papel para os comunicados de baixo teor, de onde vem?
Eu, se tivesse orçamento para uma campanha, assim, tambem conseguia ser poupadinho...

 
At 29 de setembro de 2005 às 01:20, Anonymous Anónimo said...

O Pinto só é poupado a gastar o seu dinheiro e o do Partido Socialista, porque, quando toca a gastar o dinheiro dos contribuintes, é um mãos largas.

 
At 29 de setembro de 2005 às 08:50, Anonymous Anónimo said...

Agora até comprou meia dúzia de depósitos para dejectos caninos por 1800 contos. Pergunto: quem vai dar-se ao trabalho de retirar o saco plástico do depósito para depois ir apanhar a "merda" que o seu cão faz? Ninguèm pressuponho eu ...(mas devia, pois eu que não tenho cão não tenho que andar na rua a pisar a merda dos cães dos outros). Assim sendo foram mais um quantos euros gastos para nada...

 
At 29 de setembro de 2005 às 09:17, Anonymous JUM said...

A CORRUPÇÃO OU A DEMOCRACIA
Uma das maiores dificuldades que sinto ao criticar a política portuguesa é sensação com que muitas vezes sinto de que o que aqui escrevo também poderia ser escrito por alguém da extrema-direita ou da extrema-esquerda.

Não é fácil defender uma democracia no pressuposto de que os partidos servem para debater ideias e propor novas soluções, quando estes estão minados pela corrupção e exercem um grande poder de atracção sobre quem vê na política a forma fácil de ter sucesso na vida.

Os aparelhos partidários há muito que deixaram de atrair os melhores e que eliminaram o debate de ideias, as estruturas internas dos partidos funcionam como gangs onde tem sucesso o que faz as apostas certas, aquele que assegura maiores vantagens aos que os escolhem, são uma imensa rede de favores e de influências onde as escolhas e promoções são pagas à mesa do erário público; já pouco importa a qualidade dos líderes partidários, a sua qualidade é avaliada pelas intenções de voto nas sondagens, são cavalos de corrida e o troféu mais desejado é o orçamento do Estado, distribuído sob as mais diversas formas, desde pensões vitalícias à infinidade de cargos bem remunerados ou a mera partilha de generosas contribuições para os partidos.

Mas ainda restava a possibilidade de haver alguma democracia no pressuposto de que gangs de partidos diferentes fossem concorrentes, mas assim não sucede, começam a haver sinais de entendimentos privados dos aparelhos partidários. Os aparelhos partidários fazem trocas do género trata bem dos meus que eu depois ajudo os teus, e agora temos um braço direito de Durão Barroso à frente da CNVM (para não falar da IGF) e a estrutura dirigente da DGCI escolhida por Vasco Valdez e Ferreira Leite está de pedra e cal na DGCI.

Mas a pouca vergonha já não tem limites e a mistura entre aparelhos partidários e interesses empresariais já atingiu um nível tal que dá para entregar os mais altos cargos da Administração Pública a grupos privados; e se quando o PS estava na oposição ainda se ouvia uma crítica aqui ou acolá, agora o assunto foi coberto com um manto de silêncio, como se resultados conjunturais positivos justificassem todas as tropelias.

E enquanto assistimos impávidos a tudo isto, o país não passa da cepa torta, os mais pobres sofrem com o empobrecimento forçado, a classe média vai desaparecendo e os mais privilegiados até conseguem dar-nos a ilusão de crescimento económico com a antecipação das compras de carros de luxo, antes que o IVA subisse

 
At 29 de setembro de 2005 às 09:26, Anonymous Anónimo said...

O primeiro dia de campanha parece que não correu muito bem para as ostes laranjas. O sr. director de campanha, não apareceu, anda muito ocupado, a fazer campanha para outro candidato!

 
At 29 de setembro de 2005 às 09:35, Anonymous J. Francisco S.H.Mendes said...

Este bronco conhecido pelo Bugalheira, nada fez pelas freguesias cujos os presidentes de junta não eram do seu partido.
Este bronco conhecido pelo Bugalheira gastou milhares de euros em chamada eróticas.
Este bronco conhecido pelo Bugalheira deixou que todas as obras municipais tivessem custos a mais em milhões de euros.
Este bronco conhecido pelo Bugalheira gastou milhões de euros em viagens ao estrangeiro e almoços e jantares.
É só roubar...

 
At 29 de setembro de 2005 às 09:51, Anonymous Anónimo said...

O primeiro dia de campanha parece que não correu muito bem para as ostes laranjas. O sr. director de campanha, não apareceu, anda muito ocupado, a fazer campanha para outro candidato!
Adivinhem quem? Dão-se alvíssaras

 
At 29 de setembro de 2005 às 13:46, Anonymous Anónimo said...

Criticar é mt facil, julgar tambem mas sera que a maior parte destas pessoas que tanto criticam (PS,PSD,CDU...)vão levantar o rabinho no dia 09.10.2005 logo cedinho e ir votar de plena consciencia???? Criticar so por criticar não basta, é precisso agir...

 
At 29 de setembro de 2005 às 19:14, Anonymous Anónimo said...

O Pinto não poupa só na campanha, poupa também nas deslocações nocturnas à jogatana de sueca indo no potente q.b. Audi, quiçá em representação do municipio. Escusavam era de dar o triste espectáculo a saida para a rua. Há pessoas que se levantam cedo. vão berrar para o ...

 
At 29 de setembro de 2005 às 19:22, Anonymous Anónimo said...

O Pinto não é só poupado na campanha, também o é nas deslocações nocturnas para a jogatana de sueca. Coitado a vida requer medidas de austeridade e o pobre lá tem de levar o Audi da cãmara. tudo em nome da poupança, claro. E os lacaios que levam as viaturas para casa será que lhes fica bem o permanecerem horas a fio no café com as ditas à porta ? Já agora se forem confrontados com teste de alcolémia? Paga o municipio?

 

Enviar um comentário

<< Home