terça-feira, 25 de novembro de 2008

PONTE DE SOR - O PRESIDENTE DA CÂMARA, PREPARA CAMINHO PARA MAIS VIGARICES CULTURAIS [ II PARTE ] ESCLARECIMENTO

ESCLARECIMENTO


Caros Sr. zé da ponte e comentadores deste blog, no sentido de informar e corrigir muitas das incorrecções aqui explanadas, deixo aqui o meu comentário.
O projecto em questão tem vindo a ser pensado à dois anos e foi apresentado ao executivo da autarquia em Julho de 2008.
A Câmara municipal manifestou, depois de o analisar, interesse em ser parceira neste projecto.
Este projecto chamado "Teatro da Terra" - centro de criação e formação artística de Ponte de Sor (o nome foi alterado devido à adequação às candidaturas da direcção geral das artes), foi apresentado em papel com 24 páginas, onde se inclui orçamento detalhado, plano de actividades, objectivos artísticos e profissionais, para 2009.
São duas as vertentes principais deste projecto: A Criação e a Formação.
Na vertente da criação foi proposto: "A Casa de Bernarda Alba", de Federico G.Lorca, para todos os públicos.
"Cal", adaptação do livro com o mesmo nome de J.L.Peixoto,peça com uma abordagem experimentalista e contemporânea, para públicos jovens.
"Os Contos",adaptação de contos populares portugueses de tradição oral, para a infância e juventude.
Na vertente da formação foi proposto:
- Workshops de Interpretação,Técnicos de Palco e Produção.
O objectivo destas acções de formação é o de constituir uma equipa artística e técnica local.
- Um Serviço Educativo com actividades direccionadas para as famílias,crianças e população sénior.
Foi ainda previsto o acolhimento em Ponte de Sor de três produções de teatro de companhias do Porto, Lisboa e Tondela.
São evidentes as mais valias para o concelho já que,a oferta em termos de espectáculos aumenta significativamente,vão ser criados postos de trabalho, através da formação,os habitantes da região têm a possibilidade de adquirir competências nestas áreas de forma a facilitar a sua integração no mercado de trabalho.
Este é um projecto de Serviço Público para a população de Ponte de Sor e para a região.
O projecto tem um custo total de cerca de menos de um quarto dos valores de projectos semelhantes (Montemor-o-novo ou Viseu), e o que se pretende é um centro financiado pelo Ministério da Cultura e por municípios da região,para investir na cultura, em Ponte de Sor e na região.
As pessoas que estão por detrás desta ideia são a Maria João Luís (actriz com 23 anos de carreira reconhecida por todos,como uma das actrizes mais importantes deste país, com actividade continuada em Teatro (21 peças com Artistas Unidos, Teatro da Cornucópia, T.N.D.Maria II, Teatro A Comuna, Teatro A Barraca, C.C.Belém, etc...), Cinema(11 longa metragens e 3 curtas) e televisão (7 peças de teatro para televisão,3 séries e 9 novelas).
Pedro Domingos, "o marido", com 20 anos de trabalho continuado em Teatro (enquanto desenhador de Luz criou 132 produções de teatro, dança e música ; enquanto Director Técnico colaborou na montagem de mais de 87 produções de teatro, dança, música e ópera, tendo feito inúmeras digressões pelo país inteiro, incluindo as ilhas, e por França, Alemanha, Espanha, Reino Unido, Brasil, Bélgica e Noruega. Foi professor em Escolas de Ensino Superior e é neste momento Professor/Coordenador da Licenciatura em Artes Performativas da Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa. Foi gerente de uma sociedade de serviços culturais e recreativos, de 1998 a 2008,período onde não existem quaisquer dívidas a empregados, fornecedores, fisco ou Segurança Social, sociedade esta que já empregou mais de 70 pessoas.
Este projecto é totalmente apolítico.
Não tem qualquer relação com a FAP ou politico-partidária.
São apenas duas pessoas que se mudaram com os seus filhos para Ponte de Sor, onde possuem casa desde 2002, e onde querem trabalhar honestamente, naquilo em que sempre trabalharam, sem a intenção de "sacar" ou "Vigarizar", até porque sempre viveram do seu próprio trabalho e em termos financeiros estão a abdicar de muito mais dinheiro do que aquele que, eventualmente, venham a ganhar com este projecto.
O Centro que se pretende levantar a partir do zero, precisa dos pontessorenses para vingar, e está receptivo a ideias e projectos que lhe sejam apresentados com uma atitude positiva de construção de algo de bom para a cidade e seus habitantes.

Este veículo de comunicação e de "liberdade", perde toda a credibilidade quando é apenas utilizado para ataques ofensivos a pessoas e projectos,baseados na total ignorância dos factos.
Se me permite o conselho, Sr.Zé da Ponte, este seu blog, deveria servir para discutir e promover a cultura,e seus agentes,nesta região do interior, que como tantas outras pelo nosso país,estão desertas de oferta cultural, e não um local onde, defendidos pela cobarde cortina do anonimato, se descarregam as frustrações em faltas de educação e ofensas vulgares.
Com os melhores cumprimentos.

Anónimo
Terça-feira, Novembro 25, 2008 2:24:00 PM
,


Nota da redacção do blog:
Apesar de não assinado e como presamos acima tudo a Liberdade, temos muito gosto em divulgar o presente esclarecimento.
Como também publicamos o comentário Anónimo Terça-feira, Novembro 25, 2008 6:51:00 PM
, posterior ao esclarecimento:

Acho, que vou falar por muitos naturais e residentes deste concelho.
Este ultimo comentário já devia de ter vindo a publico há mais tempo, assim não teria havido comentários um pouco grosseiros e ofensivos.
Aos Pontessorenses naturais e residentes gostaria de pedir um voto de confiança a este projecto.
Por um concelho e uma região mais prospero em cultura.


Etiquetas: , , ,

76 Comments:

At 25 de novembro de 2008 às 21:23, Anonymous Anónimo said...

Até que apareces a dizer alguma, Pinto, mas não dissestes tudo. Custa menos que os outros mas quanto custa? A Câmara aprovou, quem é a Cãmara, o PS? Só é colocação de trabalho para quem quiser ser actor, ou iluminador ou essas coisas do teatro. Vamos todos trabalhar no teatro? os Jovens vão todos pó teatro? o Teatro é o futuro de Ponte Sor? Vou já começar a treinar em voz alta pa ver se me dão emprego. Como é essa do serviço público pa nossa cidade? explica lá melhor. A actriz e o marido até vão ganhar menos do que podiam ganhar com este projecto? Perecebi bem? Tá-se mesmo a ver. O Pinto tu achas que a gente nasceu quando? Agora deu-te a mania da cultura, Ó homen vai tu fazer teatro e pintar e sei lá mais,mas acorda duma vez.

 
At 25 de novembro de 2008 às 21:28, Anonymous Anónimo said...

Vai se só emprego?
Vai ser como no aeroporto da Água de Todo Ano, como nas fábricas de aeroplanos, como nos empreendimentos turísticos da barragem, etc, etc,...
Ninguém vai ter falta de trabalho!

 
At 25 de novembro de 2008 às 21:37, Anonymous Anónimo said...

Tenho acedido a este blog no sentido de saber algumas informações sobre Ponte de Sor, concelho que me tem interessado pela sua forte beleza natural.
Ao ler os posts colocados sobre o tópico em referência, surpreendo-me por toda uma contestação que parece ter mais de especulação, que de factos e informações concretas.

Habito em Lisboa, cidade com imensa oferta cultural e artística e onde o tema do momento (assim como no Porto, através da Fundação Serralves) são as Industrias e as Cidades Criativas.

Em todo o mundo a criatividade é reconhecida como um veículo potenciador da economia e inclusão social. Não necessitamos de ir muito longe para verificar que
2008 é o “Ano Europeu do Diálogo Intercultural”, sendo 2009 o “Ano Europeu da Criatividade e Inovação, do que se deduz a extrema importância que as temáticas representam.

As Industrias Criativas (Artes Performativas, Artes Visuais, Design, Publicidade, Arquitectura, Moda, Audiovisual, entre outros) são actividades com origem na criatividade individual, habilidade e talento e potencial de criação de emprego e riqueza. Representam na Europa um volume de negócios de cerca de 650 mil milhões de euros, empregando 5,8 milhões de pessoas. Ou seja, as artes trazem dinheiro!

As Cidades Criativas, conceito fortemente defendido por Richard Florida (que esteve recentemente em Portugal para uma conferência na Fundação Gulbenkian), refere que, em prol do desenvolvimento económico e social, as cidades têm de desenvolver políticas públicas ligadas à criatividade e à inovação, atraindo e fixando artistas e talentos, apostando na tecnologia e promovendo o diálogo e a tolerância.
Portanto, tudo coisas necessárias a qualquer cidade, onde Ponte de Sor naturalmente se inclui.

Ora bem, pelo que me é dado a conhecer o Alto Alentejo é uma região de belíssimas paisagens, muito turismo rural, mas onde rareiam actividades artísticas regulares e profissionais.
Todos sabemos que a grande maioria de pessoas que adere ao Turismo Rural, aproveita os seus curtos fins-de-semana ou férias para o fazer. Nessas alturas, procuram sempre um mercado de produtos regionais, uma feira de artesanato, uma festa do concelho, enfim, qualquer entretenimento de qualidade que preencha os seus dias ou noites. Seria então belíssimo estar de férias junto à barragem de Montargil e ver a actriz Maria João Luís em palco!

Pelo que li trata-se de uma actriz de renome, que não faz apenas novelas (as mesmas que a grande maioria da população segue criteriosamente à hora de jantar e “Ai Que chatice” se a RTP, TVI ou SIC cancela um bendito episódio para passar a cobertura eleitoral americana ou o Natal dos Hospitais). Podem ver na internet o currículo que tem e que se estende ao Cinema e ao Teatro, tendo-lhe sido atribuídos alguns prémios.

Ao pesquisar pela internet encontrei diversos projectos artísticos de interesse, localizados fora de Lisboa e Porto, entre os quais Centa em Vila Velha de Ródão, o Espaço do Tempo em Montemor-o-Novo, a Companhia Paulo Ribeiro em Viseu, a Acta em Faro, a Oficina em Guimarães, na sua maioria liderados por ex-bailarinos, actores e amantes das Artes.
Ora, parece-me que a criação de um centro de criação artística em Ponte de Sor poderá constituir um valor acrescentado para a região, à semelhança do que foi para outras, sendo uma pena, que por desconhecimento e simples conjecturas, o belíssimo Alto Alentejano perca uma oportunidade como a que se lhe apresenta.

Enfim… estamos no século XXI e Portugal e as suas gentes, ao invés de bem tratar os seus talentos e a sua criatividade (tão necessários para o país e para o povo), continuam a ostracizar os seus artistas, mando-os embora.

Meus caros… Acordem! Ninguém sabe o dia de amanhã e esta actriz pode bem vir a ser um Saramago do Teatro.

Depois não se admirem quando se ouve na rua “Portugal é só Lisboa e Porto e o resto é paisagem….”

 
At 25 de novembro de 2008 às 22:08, Anonymous Anónimo said...

Pois é!
Porreiro, pá!
Os Alentejanos são todos...
Os Pontessorenses são todos...
Ponte de Sôr até é a terra do João Pedro de Andrade...
A história do Teatro em Portugal nem fala do João Pedro de Andrade...
Por cá nunca se fez teatro...
No Alentejo nem se faz teatro...
No Alentejo nem há Companhias de Teatro...
O M. A. nem é Alentejano...

 
At 25 de novembro de 2008 às 22:28, Anonymous Anónimo said...

"gato escaldado de água fria tem medo"
O sra actriz quer que lhe façamos o desenho?

 
At 25 de novembro de 2008 às 22:35, Anonymous José Lopes A.V. Mendes said...

A actriz e o professor, está visto que apesar de terem casa no concelho desde 2002, não conhecem a história, nem a cultura do concelho nem da região, onde tem casa, devem estudar mais um pouco neste campo. Depois podem escrever sem ser pela esferográfica do Bugalheira, pois o mau artista, é burro todos os dias. Fazem criticas ao anonimato, mas são iguais, nem se deram ao trabalho de assinar.
Deixem-se de tretas.

 
At 25 de novembro de 2008 às 23:33, Anonymous Anónimo said...

ok se é tudo tão linear e claro...como é o protocolo desta vez??? qual o investimento privado (do casal) e com quanto temos que entrar nos (contribuinttes) por intermedio da autarquia??? quantos postos de trabalho sem contar com alunos ira criar? e ja agora se n
ão tem ligação á FAP (edificio) nem ao cine teatro, onde se vão instalar???

 
At 25 de novembro de 2008 às 23:38, Anonymous Anónimo said...

MAs afinal quem assina o esclarecimento? E critica os anónimos!Tens cá uma lata. A propósito o teu pai tinha latoaria? É que últimamente parece que herdas-te um armazen inteiro.

 
At 25 de novembro de 2008 às 23:40, Anonymous Anónimo said...

Estou contra o senhor doutor PINTO em muitas coisas ,por exemplo estar a dias de ficar sem trabalho ,e ele está-se borrifando para mim e outras quatrocentas pessoas ,o dele está garantido ,mas sobre o nosso teatro é pena uma casa daquelas não estar aproveitada

 
At 25 de novembro de 2008 às 23:53, Anonymous Anónimo said...

cambada de palhaços,atão primeiro ofendem a actriz e o marido e depois do esclarecimento calam-se?se tivessem as bolas no sitio publicavam já um pedido de desculpas publico pelas alarvidades que disseram, eu se fosse a eles pegava no carrinho e abalava já pra longe;que gente esta sem um pingo de dignidade, até tenho vergonha de ser da vossa terra

 
At 26 de novembro de 2008 às 00:00, Anonymous Anónimo said...

Se a actriz fosse um Saramago do teatro já se tinha casado com um espanhol para lhe tratar da vidinha. E também já tinha tido algumas coisas mais. Eu até nem tenho nada contra o teatro acho é que é uma grande chatice. Bernarda Alba....vamos dormir pó teatro, até nem é má ideia.

 
At 26 de novembro de 2008 às 07:37, Anonymous Anónimo said...

Força Dr Taveira Pinto.

 
At 26 de novembro de 2008 às 10:12, Anonymous Anónimo said...

Por mim a actriz pode ir embora já.
Já chega de dinheiro gasto em projectos falhados (já são muitos).
Não se perde nada.

 
At 26 de novembro de 2008 às 11:28, Anonymous Anónimo said...

O capitão do barco deve ser sempre o último a abandonar o navio quando do naufrágio ... com os ratos já bem longe em terra firme!

 
At 26 de novembro de 2008 às 14:47, Anonymous João Luís Rodrigues said...

Oh Bugalheira, deixa-te de tretas de merda de projectos de eficácia duvidosa.

Desloca-te a Portalegre, fala com o teu colega Caceres e Polainas. Vê comos teus olhos como funciona e é administrado o Centro de Artes e do Espectáculo da Cidade.
Olha que aquilo até já está a dar lucro à Câmara de Portalegre e atrai pessoas de todo o país.
Com as pessoas que lá vão o comercio e o turismo da cidade ganham.

 
At 26 de novembro de 2008 às 15:16, Anonymous Anónimo said...

Pois é sr dr João Pinto, como vai é fazer turismo para o estrangeiro, não conhece o que se passa na cidade que é a sua capital de distrito.
Olhe que neste Centro de Artes e Espectáculo há de tudo, Jazz, Teatro, Circo, Música Coral, Música Clássica, Música Portuguesa, Folclore,etc...
O CAEP já teve mais espectadores que a nossa cidade vai ter no ano de 3008, mesmo que ela cresça 100% ao ano.

 
At 26 de novembro de 2008 às 16:20, Anonymous Anónimo said...

Isto na ponte de sor anda do melhor. A actriz (ou o marido) que diz ter casa na ponte de sor (? ) desde 2002. Alguem a tinha visto alguma vez na ponte de sor, alguem lhe tinha visto a dar ideias ou nas poucas acçºoes culturais que se passam na ponte de sor?? Quem é que acredita que estão a fazer projectos so em nome da cultura e abdicar de ganharem dinheiro, em troco de quem? Não vaõ ganhar nada? E os projectos? Casa de Bernada alba para abrir? Cal do peixoito (gulosos) o Teatro Meridional em Lisboa Há muito o descobriru e nem por isso vieram a Ponte de sor pedir mais valias. Tudo isto cheira a esturro. O marido tem feito o que muitos fazem, nada de especial aactriz , e estamos cá para ver , vai-se isolar na ponte de sor a fazer teatrinhos e récitas.E mais compara montemos e viseu a ponte de sor é pura loucura. Agora uma coisa na ponte de sor estamos fartos de chicos espertos que só vem cá parar para tentar sacar subsidios. era mais bonito,já que têm casa desde 2002 terrem feito coisas para cultivar a malta. A casa onde moram tem muito terreno uma sleituras qualquer coisa. Agora assim de repente aparecem e é loga a sacar. Vão-se encher de pulgas e não tentem iludir a malta que já há muito conhece malta do vosso calibre. Vocês de onde são? Em lisboa nada e nas vossas terras onde todos vos conhecem também nada. Ponte de sor pode ser uma galinha de ovos de ouro para vocês. Estmaos ca pra ver se deixam ded trabalhar nas novelas e afins e se se dedicam à cultura na ponte de sor

 
At 26 de novembro de 2008 às 16:29, Anonymous Anónimo said...

Dizem que este blog é de cobardes, mas afinal quem é cobarde é que diz que os outros são pois nem sequer se digna a dar a cara ou o nome.

 
At 26 de novembro de 2008 às 16:33, Anonymous Anónimo said...

Dizem que já nadam a pensar há dois anos mas só em julho deste ano (3 meses é que entregarama à camara) O que eu acho é que o marido da actriz está desempregado e acha que vem encher a mula para ponte de sor. Dizem que é uma equipa mas a gente só conhece dois que são o marido e a actriz. Ensinar a ver a teatro e logo com a alba é pura loucura e falta de conhecimento de como se formam publicos e: Nós sabemos que a crise afecta todos e em lisboa ainda mais por issso estes artistas resolverema ser bonzinhos para ponte de sor e vir salvar a malta do desemprego com emprego no grupo Tetaro da terra. E como todos sabem a actriz e o marido devem ser do blcoo de esquerdo ( o cheiroa a erva no monte deles é muito) devima charma-se a terra a quem a trabalha. Vão mas é trabalhar

 
At 26 de novembro de 2008 às 18:25, Anonymous Anónimo said...

ok se é tudo tão linear e claro...como é o protocolo desta vez??? qual o investimento privado (do casal) e com quanto temos que entrar nos (contribuinttes) por intermedio da autarquia??? quantos postos de trabalho sem contar com alunos ira criar? e ja agora se n
ão tem ligação á FAP (edificio) nem ao cine teatro, onde se vão instalar???

 
At 26 de novembro de 2008 às 21:48, Anonymous Anónimo said...

TEATRO:

De 15 a 28 de Novembro, o Festival Internacional de Teatro de Portalegre irá ter a sua 17ª edição, com espectáculos diários a terem lugar no Centro de Artes do Espectáculo e na Igreja do Convento de Santa Clara.


XVII Festival Internacional de Teatro de Portalegre

15 a 28 de Novembro
Grande Auditório
Inicio 21.30h
Preço único 5€

De 15 a 28 de Novembro, o Festival Internacional de Teatro de Portalegre irá ter a sua 17ª edição, com espectáculos diários a terem lugar no Centro de Artes do Espectáculo e na Igreja do Convento de Santa Clara.
Patrocinado pela Câmara Municipal de Portalegre e pela Direcção-Geral das Artes (Ministério da Cultura), o festival apresenta ainda um conjunto diversificado de acções de formação paralelas, na área da voz, movimento, artes circenses, construção de instrumentos musicais, entre outras iniciativas.

Programa:

17 Nov – 21.30h – CAEP - Al Suroeste Teatro - El Ángel de la luz
Autor - Miguel Murillo / Encenador - João Mota

18 Nov – 21.30h – Sta. Clara - Visões Úteis - Adúlteros Desorientados
Autor - Juan José Millas / Encenador - Ana Vitorino

19 Nov – 21.30h – CAEP - Teatro del Norte - Histórias de Martin de Villalda
Autor - Lope de Roeda / Encenador - Etelvino Vasques

20 Nov – 21.30h – Sta. Clara - Pé Ante Pé – Ponto (I)móvel
Autor - Maria Belo Costa / Encenador - Maria Belo Costa

21 Nov – 21.30h – Sta. Clara - Trigo Limpo- Teatro Acert - Chovem Amores na Rua do Matador
Autor - Mia Couto e José Eduardo Agualusa / Encenador - Pompeu José

22 Nov – 21.30h – Sta. Clara - Co-produção Teatro de Portalegre – Yola Pinto - Dançando Vieira
Autor - Yola Pinto / Encenador - Yola Pinto

23 Nov – 24.00h – Sta. Clara - Art’Imagem - História de uma Gaivota e do Gato que a ensinou a voar
Autor - Luís Sepúlveda / Encenador – Pedro Carvalho e Valdemar Santo

24 Nov – 16.00h – CAEP - As Boas Raparigas – Libração
Autor - Lluïsa Cunille / Encenador - Cristina Carvalhal

25 Nov – 21.30h – Sta. Clara - BAAL 17 – Pão
Autor - Criação Colectiva / Encenador - Marco Ferreira

26 Nov – 21.30h – CAEP - A Barraca - A Herança Maldita
Autor - Augusto Boal / Encenador - Hélder Costa

27 Nov – 21.30h – Sta. Clara – Andante - Às Escuras o Amor
Autor – Vários / Encenador – Colectiva

28 Nov – 21.30h – CAEP - U.T.E. KarliK Danza - Princesas Olvidadas o Desconocidas
Autor - Itziar Pascual / Encenador - Cristina Silveira

 
At 26 de novembro de 2008 às 21:52, Anonymous Anónimo said...

Próximos espectáculos do Centro de Artes e Espectáculos de Portalegre:

4Corners

Sáb. 29 Novembro
Grande Auditório
Início 21.30h
Preço único 6 euros
M/4 anos

Ken Vandermark – clarinete, clarinete baixo, saxofone barítono
Magnus Broo – trompete
Adam Lane – contrabaixo
Paal Nilssen-Love – bateria

Os 4 Corners são um projecto especial criado para a editora Clean Feed em 2006 e cujo album de estreia, o homónimo “4 Corners”, recebeu os mais rasgados elogios um pouco por todo o mundo.

Ken Vandermark e Adam Lane têm pelo menos um ponto em comum: são ambos grandes ouvintes das músicas dos outros, inclusive aquelas que parecem não ter qualquer familiaridade com a música que tocam, mas que acabam por moldar principalmente a forma como compôem. Stockhausen, Black Sabbath, Funkadelic, The Ex, Lee “Scratch” Perry e Morton Feldman são referências tão importantes para o que fazem quanto os “mestres” Duke Ellington, John Coltrane, Sun Ra ou Charles Mingus.

Ken Vandermark e Adam Lane têm pelo menos um ponto em comum: são ambos grandes ouvintes das músicas dos outros, inclusive aquelas que parecem não ter qualquer familiaridade com a música que tocam, mas que acabam por moldar principalmente a forma como compôem. Stockhausen, Black Sabbath, Funkadelic, The Ex, Lee “Scratch” Perry e Morton Feldman são referências tão importantes para o que fazem quanto os “mestres” Duke Ellington, John Coltrane, Sun Ra ou Charles Mingus.

As linhas com que se cose a música deste quarteto mistura de forma equilibrada liberdade e estrutura, fogo e paixão. Bebe no free jazz e no hard bop mas também busca inspiração na chamada “música improvisada europeia”, estabelecendo um binómio cerebro/nervo. Não será de espantar se se ficar com uma melodia no ouvido entre outros momentos de contornos mais subtis.

O que iremos ouvir prova que a “fire music” é finalmente universal e pode vir dos 4 cantos do mundo.

DEOLINDA
Sex. 05 de Dezembro
Acústico / Folk / Fado
Grande Auditório
Inicio 21.30h
Preço único 5€
M/4 anos

Há uma longa série de clichés associados ao fado. Por exemplo, o fado tem que ter guitarra portuguesa. Os Deolinda não usam guitarra portuguesa. Ou, o fado tem que ser sisudo, sério, compenetrado, fatalista e triste. Os Deolinda não são nada disso. Ou ainda, o fado não pode ser dançado. E dança-se com os Deolinda. Ou, para terminar, a fadista tem que vestir de preto, como se estivesse no seu próprio funeral. Ana Bacalhau, a voz dos Deolinda (a Deolinda, ela própria?), veste roupas garridas, alegres, coloridas.
Mas os Deolinda são... fado, apesar disso tudo, e são muito mais que fado, por causa disso tudo e de tudo o mais que a sua música contém.
Uma música que vai à música popular portuguesa - um universo que aqui abarca José Afonso e António Variações, Sérgio Godinho, Madredeus e os «muito mais que fadistas» Amália Rodrigues e Alfredo Marceneiro - e vai ainda à rembetika grega, à música ranchera mexicana, ao samba, à música havaiana, ao jazz e à pop, numa confluência original e rara de músicas irmãs ou primas umas das outras e que nos Deolinda fazem todo o sentido.
Dois anos - e vários concertos memoráveis depois , os Deolinda lançam agora o seu álbum de estreia, «Canção ao Lado», com catorze temas originais.
No álbum participam o percussionista João Lobo e muitos amigos dos Deolinda: Mitó Mendes (A Naifa), Norberto Lobo, Mariana Ricardo, Joana Sá, Gonçalo Tocha, Didio Pestana, Artur Serra e Carlos Penedo, entre outros.

Coro, Ballet e Orquestra do Exército Russo
Qua. 10 de Dezembro
Grande Auditório
Início 21.30h
1ª Plateia: 30€.
2ª Plateia: 27€
Balcão: 22€
M/4 anos

Conhecido como o “Primeiro Exército da Paz” (porque utilizam as suas vozes em vez de armas), o Coro, Ballet e Orquestra do Exército Russo de São Petersburgo junta no palco uma centena de artistas, que interpretam canções populares russas acompanhadas de espectaculares coreografias e vestidos deslumbrantes.
Com uma história que se iniciou no intervalo entre as duas guerras Mundiais, ao seu repertório de canções populares russas juntam-se músicas de outros folclores, aprendidas aquando das suas frequentes digressões por inúmeros países e continentes, da quais se destacam “Olhos Negros”, “Kalinka” ou “Os Remadores do Volga”.
O grupo de ballet é formado por quarenta artistas, que surpreendem com as suas coreografias originais e a destreza que demonstram nas suas danças, que nos falam da vida campesina, de amor e de batalhas. Algumas das mais espectaculares são a “Dança Ucraniana”, “A Dança dos soldados”, “A dança dos Marinheiros” ou “Os Sinos de Rússia”.

 
At 26 de novembro de 2008 às 22:34, Anonymous mestre lopes said...

sou o autor do comentário do dia 25 de Novembro as 6:51 pm
tenho tentado dar o meu contributo para o desenvolvimento do meu concelho através deste blog, umas vezes criticando outras elogiando.
tenho criticado a arrogância, prepotencia, abuso de poder, falta de educação e falta de respeito pelos seus concidadãos.
mas também já elogiei o trabalho pelo desenvolvimento da cidade e do concelho, embora pudesse ser feito de outra maneira, (mas quem esta de fora vê as coisas de outra maneira).
em relação a fundação estive sempre séptico quanto ao futuro da mesma, pois foi uma gestação muito conturbada e longa e com muitos segredos pelo meio, não posso dar uma opinião em relação há mesma, pois nunca a visitei nem nunca tive vontade para tal!.
em relação ao novo projecto da actriz Maria João Luís e seu marido estou muito esperançado e expectante, desde que o protocolo seja justo e honesto para todos, em prol da cultura e concelho de ponte de Sôr.
ass: mestre lopes

 
At 27 de novembro de 2008 às 01:22, Anonymous Anónimo said...

ó mascarenhas rato velho tás a sentir as nalgas apertadas por causa da concorrencia na região? ainda por cima mais competente que tu? nem consegues dormir como deve ser por causa disto,pá...andas tu aqui á trinta anos nas almoçaradas a apanhar tosgas todos os dias,pá,hic...e ospois ponte sor vai te mostrar como é que faz teatro a sério,não é as tuas aldrabices,não...és um granda cromo,tu,o tempo que passas a curar as bebedeiras neste blog a mandar abaixo a câmara e os projectos pra ponte de sor, devias era passá-lo a cultivar batatas aí no teu monte,pá,vens dizer pra ponte sor aprender com portalegre???ponte sor não fica atrás de ninguem,pá,apesar de tu e a tua familia andarem a ser sustentados pela câmara de portalegre,também queres é mamar na ponte sor chulo(publica, se és homem,as contas do semeador porque queremos saber como é que gastas o dinheiro de quem paga impostos,pá)atão 200 mil não chegam,pá, a vinhaça aumenta e os 200 mil não,pá!!!.Ó palhaço pensas que enganas alguem de ponte de sor não,ó pinto fazes muita coisa mal mas uma que fazes bem é não quereres cá bebados como este pavão.andas enervado com isto,pá,até vais ter de ir comprar mais uisque senão na ta aguentas nas canetas pra inventar não vá alguém tirar-te as câmaras do distrito,pá "Apesar de não termos os meios financeiros para fazer um guarda-roupa a sério com os veludos e os brocados próprios desta época, de qualquer forma, como se costuma dizer em teatro, "com o barulho das luzes" os vestidos passam bem e vai ser extremamente interessante", manifesta o director que meteu aqui a programação do festival de portalegre a ver se pesca alguma coisa .tu ó jl rodrigues pensas que ensinas alguma coisa a alguem? Olha que aquilo até já está a dar lucro à Câmara de Portalegre e atrai pessoas de todo o país.o que se vê mais é pessoas de todo o pais em Portalegre a ver espectáculos e com os bilhetes a 5€ a câmara tá-se a encher de dinheiro,pá, temos de ir,hic... ali pedir pra aumentarem pros 300 mil,porque as grades de minis tamem aumentaram,pá
Com as pessoas que lá vão o comercio e o turismo da cidade ganham.afinal temos é de ir todos para portalegre,pá,por causa dos espectáculos aquilo é só turistas a gastar fortunas ali pelo comércio,pá
apresenta lá aí as contas sempre quer ver quanto é que a câmara gastou e continua a gastar com o caec,foi á borla,pá. Pá o que eu gostava agora era 1 jbezinho,olha olha aquelas duas russas tiveram no caec,pá, são turistas,pá.ó cabutino podes gastar tempo á vontade qu ninguem te liga pevide

 
At 27 de novembro de 2008 às 01:29, Anonymous Anónimo said...

afinal são os camelos mafiosos de portalegre que estão com medo disto,mafiosos a fazer-se passar por pontesorenses...quero pedir desculpas aos meus conterraneos pelos comentarios depreciativos, mas só agora percebi que são os labregos de portalegre (tava á achar demais todo este rebuliço)aos labregos de portalegre:a PONTE DE SOR vai mostrar-vos porque é que somos os melhores

 
At 27 de novembro de 2008 às 01:41, Anonymous Anónimo said...

olha mestes vieram por o festival de portalegre aqui??
por acaso sou desta cidade e já alguns anos que vejo a actriz por aqui,desconheço o que vai fazer, ou os protocolos, o que sei é que o teatro não tem nada aqui so cinema,acho boa a ideia daver mais teatro

 
At 27 de novembro de 2008 às 01:58, Anonymous Anónimo said...

mestre lopes aprecio a tua forma de escrever aqui,és o unico sério no meio desta escoria.os portalegrenses tão-se a esforçar,mas o bugalheira não é tapado de todo, eles tão empenhados em caluniar ponte sor por alguma coisa é... a mediocridade é triste

 
At 27 de novembro de 2008 às 02:09, Anonymous APJ said...

Antes de chegar a Richard Florida há um longo caminho... Anotem sff o comentário das 10 e 28 de 25 Nov (escusado sera dizer anonimo já que todos aqui são anónimos, incluindo o post) de um, suponho, pontessorense, a presumir que o autor do post é a atriz (o que eu também acredito ser):

""gato escaldado de água fria tem medo"
O sra actriz quer que lhe façamos o desenho?"

Preferia assistir a uma peça de caricatura das gentes de ponte de sor sob coordenação de qualquer atriz profissional, do que apreciar o "desenho" que os pontessorense fariam à senhora. [Alias do seu desenho anónimo. O seu que imagina ser do mundo.]

Talvez com esta sra e uma fundação ao serviço do município, daqui a vinte anos, em Ponte de Sor, o "medo" escalde em agua sã. E que a partir desse tempo, de tal mentalidade e dos anónimos que transpiram por este blog, apenas restassem as máscaras...

Fiquem com as palavras da (é possivel acreditar que assim seja) Maria João Luis:

"Este veículo de comunicação e de "liberdade", perde toda a credibilidade quando é apenas utilizado para ataques ofensivos a pessoas e projectos,baseados na total ignorância dos factos.
Se me permite o conselho, Sr.Zé da Ponte, este seu blog, deveria servir para discutir e promover a cultura,e seus agentes,nesta região do interior, que como tantas outras pelo nosso país,estão desertas de oferta cultural, e não um local onde, defendidos pela cobarde cortina do anonimato, se descarregam as frustrações em faltas de educação e ofensas vulgares."

 
At 27 de novembro de 2008 às 02:33, Anonymous APJ said...

Este também é um bom especime sra atriz:

Disse-se por aí:
"Dizem que este blog é de cobardes, mas afinal quem é cobarde é que diz que os outros são pois nem sequer se digna a dar a cara ou o nome."

Reparem: é um anónimo!, a dizer: chamas-me cobarde, mas quem diz é quem é, e a mostra a língua, bah.

Pede-se, imaginação para uma cidade pouco criativa. Já viram o quão conservadores ficaram escritores do blog - sempre do contra, por ser do contra, por ser algo que estamos naturalmente contra - sem pensar qualquer coisinha, porra

 
At 27 de novembro de 2008 às 07:21, Anonymous Anónimo said...

Antão o Sindicalista Nelsom ,vai ao congresso do PC?

 
At 27 de novembro de 2008 às 09:11, Anonymous Anónimo said...

Vai ele e a familia Bugalheira...

 
At 27 de novembro de 2008 às 09:18, Anonymous Anónimo said...

Como diz o M. A. actrizes como essa há muitas e de melhor qualidade, esta até tem geito para o b..., vai-te embora. A malta conhece-te bem gente da tua laia, que só vem ver se saca algum do pouco que cá há.

 
At 27 de novembro de 2008 às 10:04, Anonymous Anónimo said...

O "anónimo das 1h e 22m e das 1h e 29m desta madrugada é a mesma pessoa, além disso deve beber muito com quem fala, governa-se na capital de distrito, à custa de expedientes servidos pelos vigaristas do PS e pago a preço de ouro, apesar de ter sido corrido de todo lado cá na cidade é um apaniguado do Bugalheira.

 
At 27 de novembro de 2008 às 12:35, Anonymous Anónimo said...

Grande Lata: Agora quem anda a desmascara a actriz e o marido é o pessoal de portalegre. A verdade é que já muita gente passou na ponte de sor fez coisas e nunca cosm este casal de artistas. que chegam querem logo começar a mamar na camara. Alguem me pode dizer uma coisa : se os artistas tem acsa na ponte de sor desde 0 ano de 2002 algume os viu na fundação? Nas exposições da Biblioteca ou a particiapr na vida da ponte de sor. Ninguém agora dizem que vão fazer e acontecer e que vãod ar emprego a m,uita gente. Começarem com a casa de berbada alba e depois o peixoto e contos infantis? é muito básico e triste. e já agora onde vai ser a sede do tetaro da terra? Onde vão estar para receber as gentes da ponte de sor para dar ideias. E se gostam assim tanto da ponte de sor porque nunca fizeram nada ate agora e porque é que não falaream em portalegre e so falaram em montemor e viseu. Vão enganar outros porque o casal de artista quer é tacho porque não tem onde cair mortos.

 
At 27 de novembro de 2008 às 12:58, Anonymous Anónimo said...

Fui ao teatro a Portalegre, não havia 20 pessoas.

 
At 27 de novembro de 2008 às 13:15, Anonymous Anónimo said...

das 9.37h é da actriz, ou do marido ou do tio do marido. Além disso as coisas não saõ nada assim. Para Richard Florida a cidades criativas não são tão simples nem se pode implantar o modelo sem primeiro garantir um comjunto de situaçoes de primeira necessidade. Além disso não é em Lisboa que se discutem estes assuntos é em Municípios que já estão a trabalhar nessa direcção. O Pinto se não fosse tão casmurro já devia ter feito o mesmo, o problema é encontrar quem o aguente. Mais, não sabes que todos os exemplos que deste de Viseu a Montemor estão com sérios problemas de sobrevivencia desde o financeiro até exigua falta de público? De vez em quando faz falta ler um jornalito. Se não sabes não fales, se sabes achas que aqui os pategos engolem tudo?

 
At 27 de novembro de 2008 às 13:30, Anonymous Anónimo said...

O comentario anterior foi esclarecedor. Por isso casal de artista que tal irem enganar outra terra que na ponte de sor já não enganam ninguém. Pensavam que vinham para aqui e era tudo uma mar de cortiça, enganaram-se pois em vez de andarem com mares de arrogantes deviam ser modestos, mostraem trabalho e depois irem ao subsidio. Se na vossa terra não fizeram nada aqui ...

 
At 27 de novembro de 2008 às 13:51, Anonymous Anónimo said...

Para o anónimo de 25 (parece ser do marido da actriz?) as industrias criativas já tem barbas, já se sabe que o modelo não funciona. Porque será que tenho a sensaçao que somos tradados de coitados?

 
At 27 de novembro de 2008 às 14:14, Anonymous Anónimo said...

Não bastava cá a dra.,educadora, Lígia, agora mais esta actriz e o marido.
"Pobre terra a nossa entregue a tal gente".

 
At 27 de novembro de 2008 às 17:21, Anonymous Anónimo said...

E a educadora Ligia não pode fazer o Teatro? Lá iluminada é ela até pode ser que resulte.Já anda ao colo com o filho da actriz, pode ir aprender com ela. Sempre fica mais barato.

 
At 27 de novembro de 2008 às 17:21, Anonymous Anónimo said...

Mas oiçam lá? Querem manter Ponte de Sor um deserto?
Já não basta o que aconteceu com a Fundação! Mais parece que não querem cá cultura! Temos um cine-teatro e temos de lhes dar uso!
Deixem-se de especulações e insultos ao casal!

 
At 27 de novembro de 2008 às 18:07, Anonymous Anónimo said...

Bah! Se Portalegre tem um CAEP porque é que nós não haveriamos de ter um Teatro da Terra?!
E se há falta de público em Portalegre vamos é mostrar-lhes que em cá em Ponte de Sor isso não acontece!

 
At 27 de novembro de 2008 às 18:27, Anonymous Anónimo said...

Achas mesmo? Olha só a diferença da população. Chamemos-lhe ingenuidade para não outra coisa.

 
At 27 de novembro de 2008 às 18:48, Anonymous Anónimo said...

"faz o que digo, não faças o que faço" Partido Comunista

 
At 27 de novembro de 2008 às 20:21, Anonymous Anónimo said...

Venha o Teatro! Que do mau já cá temos que chegue!

 
At 27 de novembro de 2008 às 20:57, Anonymous Anónimo said...

"Filho do Zé Povinho é Zé Pavão
Que hoje se pavoneia na avenida
Ao volante do carro ca querida
De que ‘inda não pagou a prestação.

O pai foçava e só o filho é calão,
Pois vendo o velho pai na sua lida
Mais ficou a gostar da boa vida,
Razão por que virou um mandrião.

Eis a foto do povo português:
Gente séria, honesta e de trabalho
Trocada pelos vícios do burguês.

São dívidas no banco e até no talho...
E quando ninguém paga ao fim do mês,
Apetece mandá-los prò caralho!"

S.M.L.

 
At 28 de novembro de 2008 às 01:35, Anonymous fernando pessoa said...

a dgartes só apoia 6 projectos pro alentejo todo,não?quando o mascarenhas souber do outro projecto profissional para arronches,até lhe dá a travadinha,a cirrose piora e o homem mete baixa pra ter tempo pra estar agarrado ao pc na campanha bota abaixo tudo o que apareça na cultura pro alto alentejo

 
At 28 de novembro de 2008 às 03:07, Anonymous APJ said...

hoje regressei ás 3h em ponto para anotar este comentário:

"O "anónimo das 1h e 22m e das 1h e 29m desta madrugada é a mesma pessoa, além disso deve beber muito com quem fala, governa-se na capital de distrito, à custa de expedientes servidos pelos vigaristas do PS e pago a preço de ouro, apesar de ter sido corrido de todo lado cá na cidade é um apaniguado do Bugalheira."
diz "Quinta-feira, Novembro 27, 2008 10:04:00 AM" (presumo ser esta a sua identidade, já que "anónimo" não é algo distinguível).

Quererá pois segunda a sua logica que tenha de me abastardar para ter algum juizo opinativo no pleito de vossa distração que é este blog. É legitimo. Eu acho que o seu blog tem elementos sindicados, apreciados e sancionados pela jurisprudencia actual - os blogues têm mesmo reflexo na vida das pessoas. Politicamente, este espaço é prejudicial sobretudo para os seus autores e acaba também por o ser, quanto às pessoas escorraçadas pela furia do anonimato que paira por todo o lado.
Não acredito que tenha expressividade na opinião publica do municipio.
Este blog é um acto de liberdade cega e redutora, e ostracizante. É este ultimo que acho que nunca poderei pactuar enquanto pessoa que sabe escrever "ponte de sor" no google.pt
Socialmente, o que acho que devia preocupar, é o estatuto não identificável que a quase unanimidade das pessoas (incluindo eu) aqui deixam.
Não acho este um caminho de liberdade correcto. E isto tem a ver com mentalidade, com arte e com cultura... fiquem bem.

 
At 28 de novembro de 2008 às 10:42, Anonymous Anónimo said...

Então o menino brilhante não sabe qual é a diferença entre "PONTE DO SOR" e "PONTE DE SOR"?
Estude.

 
At 28 de novembro de 2008 às 10:58, Anonymous Anónimo said...

Mais uma que vem sacar graveto cá a Ponte de Sôr.Vamos ver quanto tempo dura o centro? Aguardemos.

 
At 28 de novembro de 2008 às 11:01, Anonymous Anónimo said...

Porra oh Pintinho, ainda não te viste livre do Prates, já estás a meter-te noutra, faz um intervalo e pensa um pouco e apresenta de uma vez por todas um projecto cultural para o concelho.

 
At 28 de novembro de 2008 às 11:03, Anonymous Anónimo said...

Olha para eles só cabeças pensantes no âmbito da coltura até hoje nunca fizeram nada na cidade mas agora são os maiores da coltura.

 
At 28 de novembro de 2008 às 11:14, Anonymous Anónimo said...

Alguem me pode dizer onde é que vai ficar instalado o casal de artistas? Onde vão telefonar, criar e gastar o nosso dinheirinho em prol da cultura???? E o projecto já viram?? quantas pessoas vão empregar?? Empregar gente da terra e não trazere artistas de lisboa isso toda agente faz,

 
At 28 de novembro de 2008 às 15:00, Anonymous Anónimo said...

E por tudo isto, a sra, o seu marido e mais alguem, levam, ou querem levar, por mês, 5300€. Olhe que artistas já cá há muitos!

 
At 28 de novembro de 2008 às 19:03, Anonymous Anónimo said...

E quanto é que achas que actriz ganha por mês na Televisão? Uns 4000€. Agora junta as trabalhos que faz no Cinema e Teatro. A isso tudo soma o ordenado do marido.

 
At 28 de novembro de 2008 às 22:04, Anonymous L.M. said...

Vivemos num tempo de mudança. Na economia com a globalização; na política com o papel determinante dos media e os novos desafios sociais; nas empresas com as novas formas de organização e produção; na vida corrente com uma alteração significativa de paradigmas no trabalho, nos comportamentos, na vivência colectiva.

A cultura, que é afinal o reflexo de tudo isto, também está em mudança. De uma cultura da expressão emocional e do espectáculo estamos a passar para uma cultura do conhecimento. Uma cultura que tem por base o saber e já não tanto as sensações; que gera conhecimento, experimentação e inovação e já não só actos espectaculares.

Aquilo a que chamamos hoje "cultura do conhecimento" não se limita ao estudo, reflexão e representação do saber da nossa época. Isso sempre aconteceu. A cultura sempre foi por definição uma prática erudita, que emana do saber, seja ele empírico ou científico. Falamos de algo que é mais do que isso. Dada a vasta disponibilização do saber, nomeadamente através da Internet e dos meios de comunicação, uma larga camada da população tem agora os meios para passar do simples consumo para a produção directa de cultura. O acesso à experimentação, à realização e à divulgação encontra-se bastante facilitado pelo uso das novas tecnologias e dos novos meios de comunicação. Na prática, toda a gente pode ser um produtor cultural, ao contrário do que sempre aconteceu no passado em que só uma minoria o podia fazer. Ou seja, não estamos já a falar de uma cultura de massas no sentido do consumo, mas de uma cultura de massas no sentido da produção. Muitos actos culturais, produtos criativos e ideias novas emergem agora de gente sem formação específica nem poder económico significativo. É essa a dinâmica da nova cultura do conhecimento e da criatividade.

Acresce que estas novas práticas são fundamentais para a evolução das sociedades e para a adaptação dos países, regiões e cidades às novas condições económicas e existenciais. As ideias são o petróleo dos nossos dias. Em particular nos pequenos países, como o nosso, só a disseminação de uma cultura do conhecimento e da criatividade pode permitir o desenvolvimento e a modernização.

Aquilo a que usualmente se chama o design vai-se impondo sobre a velha acumulação de capital e a simples transacção de matérias-primas, as quais, como se sabe, não abundam entre nós. Mas mesmo estas, a existirem, e que por cá praticamente se restringem ao excelente clima e condições geográficas, precisam desse acréscimo de valor representado pela inovação para poderem ser melhor exploradas. No caso do Turismo, por exemplo, isso é evidente.

A questão que se coloca é pois saber como passamos da "velha cultura" para a nova. Como criamos as condições para que "toda a gente" se possa tornar criativa e produtora cultural.

Como em quase tudo, o ensino é fundamental. Mas mais do que remodelar os cursos de formação artística, que por sinal continuam na sua maioria bastante académicos e conservadores, é preciso introduzir uma cultura da criatividade em todos os domínios. A escola deve tornar-se numa fábrica de criatividade independentemente da matéria em questão. Nenhuma profissão ou actividade actual pode progredir sem conhecimento e capacidade de o transformar numa coisa nova.

Mais importante ainda é criar espaço para a experiência e divulgação da inovação. O País foi acumulando equipamentos culturais convencionais, museus, salas de exposição, teatros e salas de concerto, tantas vezes de forma excessiva e com enormes custos, mas tem falta de espaços para a experimentação. Ainda recentemente um amigo, director de um Museu, me contou que reuniu com jovens para lhes perguntar o que gostariam mais de ver exposto, ao que estes responderam que preferiam algo para fazer.

Um enorme contributo para a nova cultura seria pois reconverter muitos dos actuais equipamentos culturais, tantos deles sem actividade relevante, em verdadeiros laboratórios de conhecimento e criatividade. Em particular muitas autarquias teriam toda a vantagem em o fazer. Ajudaria a fixar os jovens, gerar novas empresas, actividades e uma nova dinâmica cultural.

 
At 29 de novembro de 2008 às 01:58, Anonymous Anónimo said...

Mas será que o comentário é mesmo da actriz? Está demasiado mal escrito e com uma pontuação de fazer inveja a qualquer criança de sete ou oito anos. Deve ter sido um dos seus filhos a escrevê-lo.

 
At 29 de novembro de 2008 às 17:35, Anonymous Anónimo said...

A situação não está fácil, a crise económica não vai ser leve, e há gente a pecisar de ajuda. É peciso ver muito bem o que vão fazer e para quê,o sr.dr.taveira pinto enquanto lá está, pense bem e pergunte melhor porque o que parece é que destes assuntos não percebe nada, depois embarca nas histórias mirabolantes que lhe trazem. Tudo isto custa dinheiro, faz obras (com erros e dinherios mal gastos) e abre e fecha, faz obras novamente, adapta para outra coisa, são custos atrás de custos.

 
At 30 de novembro de 2008 às 12:07, Anonymous Luis Carvalho said...

Falam falam falam e não dizem nada...

È certo que alguns dos investimentos feitos pela CMPS não tenham sido bem feitos, tambem não estou de acordo com alguns deles, pois podia haver outras áreas a desenvolver (culturais, desportivas, etc) que não o foram, mas pergunto eu: Quem são vocês (a maioria "anonimos") para vir para aqui dizer isto ou aquilo, quer do presidente da CMPS Sr. Dr. João José de Carvalho Taveira Pinto ou da Sra. actriz Maria João Luis? Acho que se têm algo a dizer sobre estas pessoas ou sobre o que fazem, o devem fazer perante as mesmas, olhos nos olhos. Mas como lhes faltam coisas como a honra, honestidade entre outros valores morais, quando passam por estas pessoas metem o rabinho entre as pernas e mandam 2 ou 3 bocas baixinho para que ninguem ouça... Sejam Homens e Mulheres.
Pelo menos identifiquem-se...

O Pontessorense
Luis Carvalho

 
At 30 de novembro de 2008 às 15:07, Anonymous João Lopes Martins said...

Oh Luís Carvalho, deixa-te de tretas em defender as "putas do convento".
O que a malta diz da "fina flor do entulho do concelho e da cidade de Ponte de Sôr" ainda é pouco. Pois esta malta são uns verdadeiros vigaristas e parasitas da nosso sociedade Pontessorense.

 
At 30 de novembro de 2008 às 17:07, Anonymous Anónimo said...

Sabem se vamos ter iluminaçao de natal nas ruas? Ainda nao vi iluminaçao nem jeito disso. Sabendo que o que pago de IMI dava para pagar a iluminação de 5 ou 6 ruas, tal nao é a chulice,só estou a espera que esse vigarista do pinto nao manda meter iluminaçoes de natal nas ja tristes ruas da cidade(mas das boas, nao e pais natais a bater pivias nem explosoes tipo BIG SHOW SIC). Ja se gastou o dinheirinho todo em fundaçoes da treta, electricos de merda (quase 80 mil contos este ano, falando ainda em escudo, para o electrico. Nao têm vergonha nenhuma quando têm uma cidade podre, uma qualidade de vida cada vez pior). Sei que o meu comentario ate pode ser ofensivo, mas nesta cidade anda tudo bimbo, a começar com o bimbo presidente

 
At 2 de dezembro de 2008 às 00:54, Anonymous Luis Carvalho said...

Caro João Lopes Martins, se ler e interpretar com atenção o meu comentario irá perceber que não defendi ninguém, inclusive comecei o comentario a dizer que alguns dos investimentos feitos, foram mal feitos, o que quis dizer foi que não acho bem a cobardia de muita gente ao ficar no anonimato e ofender pessoas não estão presentes, isso para mim é pura COBARDIA... Tanto defendi em relação a este tema o Presidente da Câmara e a Actriz como defenderia qualquer outra pessoa, pois não concordo com tal COBARDIA... E se todos os que aqui são tão bons faladores, e tanto criticam, porque não se candidatam á presidencia da câmara e fazem melhor? Falar é fácil meus amigos, agir é que é mais dificil... E atenção que não estou a defender ninguem, pois acho que o Eléctrico deveria ter menos de metade do orçamento oferecido pela câmara, e deveriam ser desenvolvidas outras vertentes como os desportos motorizados, que tantos apoiantes têm no nosso concelho e a Câmara nada faz para o desenvolver correctamente, porque não fazer 1 corrida de toiros por ano? Tambem há muitos aficionados á tauromaquia no nosso concelho, tanto referi estes exemplos como podia referir outros, tambem não estou contente com muitas decisões da CMPS como podem ver, mas o que é certo é que nunca me viram a ofender ninguem...

O Pontessorense
Luis Carvalho

 
At 2 de dezembro de 2008 às 11:48, Anonymous Anónimo said...

Acho Piada a tudo isto. A actriz que nunca deu provas de que consegue estar à frente de seja do que for. vem para a nossa terra armada em grande divulgadora da cultura. Atroco de quê? de ensinar a malta a ver teatro? Como mulher da cultura quen diz ser, sabe que a cultura nunva deu muito dinheiro, logo o dinehiro que pede deve ser só para lhe pagar, a ela e ao marido, o ordenado. Não vamos ser mais uma vez tótós e aceityar tudo o que aparece . Vamos ser criticos e não ser parolos nemcom vinte actrizes de novelas que apaecem por qaui a pedinchar subsidios

 
At 3 de dezembro de 2008 às 13:22, Anonymous Anónimo said...

O Pontessorense Luis Carvalho, não sabe que este é um blog anónimo, a começar por quem o criou. Ou esstou enganado? O prpósito é esse mesmo. Se há quem queira identificar-se acho muito bem. mas ou todos ou nenhum. Touradas são uma barbaridade a não ser que o Sr. Luis Carvalho queira ser ou toiro e levar com as bandarilhas e outros maus tratos que costumam fazer-lhes. Como Homem de ciragem que é esperamos que o Luis Carvalho e oiutros aficionados se encham de coragem e se apresentem na praça de toiros para serem toureados.
O Pontessorense
Anónimo

 
At 3 de dezembro de 2008 às 17:47, Anonymous Luis Carvalho said...

Toiro é o Anónimo que escreveu o post anterior, gostaria de saber quem é esse toiro, pois gostaria de ter a honra de lhe cravar um belo de um par de bandarilhas, pois tem mais nobreza um toiro do que este anonimo anormal...

 
At 3 de dezembro de 2008 às 19:21, Anonymous Anónimo said...

O Homem que se identifica de Luis Carvalho, ao que lhe parece a ele está a ser um Herói porque nse identifica e outros não...mas diga quem é pá...É da Tramaga,Àgua Todo Ano,Foros,Longomel,Ervideira,Vale de Açor...etc.o que faz...onde trabalha...enfim identifique-se,porque ao que parece ninguém sabe que é...Carvalhos há em todo o lado....Ou és lambe sapatos dos Bugalheiras?? eles também são Carvalhos Pintos...

 
At 6 de dezembro de 2008 às 23:21, Anonymous Anónimo said...

Então a dra. actriz anda a preparar para dia 20 de Dezembro uma actividade à custa da vinda do Zé Peixoto à cidade. Já anda a fazer convites para a actividade a realizar no anfiteatro da fundação António Prates e na fundação António Prates ninguém sabe de nada, nem cedeu as instalações para nenhuma actividade.Está visto e comprovado o que aqui se escreveu.

 
At 8 de dezembro de 2008 às 11:09, Anonymous Anónimo said...

Ja se percebeu que a gaja é esperta, parece que é no restaurante da fundação. assim já pode dizer que faz coisas na ponte de sor. alguma vez alguém ouviu a actriz falar do peixoto?? dá geito para sacar uns euros à malta. Aposto que a dita actriz não pode nem ver o Bugalheira, mas como ele dá-lhe geito ela anda de roda dele. cambada de gulosos. gostava de lhes poder dar uma vassourada. ve-se mesmo que não é gente séria.

 
At 8 de dezembro de 2008 às 11:12, Anonymous Anónimo said...

E disseram que era tudo à borla e não é teatro. saõ leituras. Pois o povo não sabem ler é preciso virem uns viagristas para aqui porem a ler. é assim que a malta cria hábitos de teatro. vão goazar com outros.

 
At 9 de dezembro de 2008 às 15:04, Anonymous Anónimo said...

Diz o Povo e com razão que com papas e bolos se enganam os tolos. Neste caso parece que em nome da cultura anda por aí uma casal armado em arauto da cultura. Pois muito bem que façam cultura. Não é fácil e pelo o curriculum do dito casal parece que são uns empregados de novelas e teatros que agora deram uma de vida do campo e como a cultura é o mais fácil querem sacar uns trocos às camaras,parece pouco para quem se diz entendido na matéria. As leituras de textos são amendois para macacos e a camara vai aproveitar para apregoar que faz cultura. terra miserável que nunca mais aprende a não ir na conversa de vaidosos

 
At 9 de dezembro de 2008 às 20:59, Anonymous Anónimo said...

O Prates das fotociopias e falcatruas tambem queria dignificar e levar o Concelho mais longe..........
Quanto vai custar MAIS ESTA PATRANHA??

 
At 15 de dezembro de 2008 às 12:34, Anonymous Anónimo said...

Pois vamos ver o que a actriz da ribeira vem c´´a fazer. Parece incrivel como uma actriz que diz ter tanta notoriedade, venga para aqui acariciar os bigodes ao Bugalheira. Tudo isto cheira a esturro. Ou melhor a oportunismo

 
At 18 de dezembro de 2008 às 17:56, Anonymous Anónimo said...

O Bugalheira esta deslumbrado e como no Município nem piam aí esta ela a goizar com a gente. As ditaduras acabaram parece quem ainda não sabe.

 
At 27 de março de 2009 às 06:56, Anonymous Anónimo said...

Sou o Mascarenhas, o rato velho (?)só para esclarecer que jamais escrevi num blogue... Conheçoe maria João Luís, de quem sou amigo, desde os anos 8o, da barraca, e a Isabel Abeu Pereira, de Arronches, foi minh aluna três anos, na escola... os projectos teatrais para o alentejo não bvão ser seis, mas nove e, pela minha parte, nem sequer gosto de whisky e dou aulas (e faço teatro) diariamente! Já agora, estreámos há poucos anos um texto teatral do vosso conterrâneo João Pedro de Andrade e tentámos levá-lo aí, mas as entidades responsáveis não estiveram interessadas... Não vivo, nunca vivi, do mal dos outros, e gostaria de poder indentificar os autores reais por detrás dos anonimatos: talvez assim se pudessem esclarecer tanto azedume e picardias, ou dores de corno! Estor sempre disposto para uma boas bengaladas, como dizia o Eça...

 
At 8 de maio de 2009 às 21:53, Anonymous Anónimo said...

Terem dois artistas com excelente qualidade e curriculo a fazerem qualquer coisa pela cultura em Ponte de Sôr e vocês ainda desdenham? Tenham paciência não merecem projectos deste calibre.

 
At 31 de dezembro de 2010 às 04:42, Anonymous Anónimo said...

tuwukmx msg iwfqq latin butts

qskqr!

isniq vraklt frs big tits

 

Enviar um comentário

<< Home