segunda-feira, 26 de maio de 2008

APELO...

Vamos fazer a diferença!
Isto tem que começar por algum lado!
Vamos passar a palavra e não ser indiferentes,
temos que fazer com que as coisas mudem!
A subida vertiginosa do preços dos combustíveis
tem que parar e temos que fazer com que baixem!

Para tal vamos combinar três dias nacionais seguidos de

NÃO ABASTECIMENTO NA BP, GALP!

Esses dias serão o 1 - 2 - 3 de Junho de 2008!

VAMOS FAZER A DIFERENÇA!


Juntos teremos força para baixar
os lucros destes gigantes!
Agora é só passar a palavra com urgência!
Estou farto de ser levado na hora de pagar!
CHEGA!
SEJAMOS UNIDOS PORTUGUESES
E TODOS OS QUE TENTAM
SOBREVIVER EM PORTUGAL!

NÃO ESQUEÇAM
1 - 2 - 3 de JUNHO de 2008

Não Abasteçam na


BP,

GALP!


Recebido por e-mail

Etiquetas: , , , ,

9 Comments:

At 27 de maio de 2008 às 12:18, Anonymous Anónimo said...

Será que o combustivel que vamos comprar nas outras bombas não é produzido nas refinarias da GALP?
Se calhar no fim do boicote, a GALP ainda vai ter lucro com ele.

 
At 27 de maio de 2008 às 14:52, Anonymous Anónimo said...

Claro que o combustivel das "gasolineiras de linha branca" é fornecido pela Galp.

Mas devido ao facto de ser comprado pelos automobilistas a preços mais baixos, faz com que os lucros da Galp desçam de forma brutal.
É aqui que podemos ganhar, alguma coisa

 
At 27 de maio de 2008 às 17:21, Anonymous Anónimo said...

eh pah temos aqui um caso serio. Ainda mais serio se nao se fizer mais do que boicotes
às gasolineiras da galp, bp, repsol. O pessoal esquece-se de como funciona qualquer mercado. Ainda mais o petrolifero cuja oferta é constante devido às razoes que são conhecidas ou que deveriam ser do conhecimento de todos. Pressão da procura sobre a oferta tem como resultado aumento de preços de forma a estabilizar num novo ponto de equilibrio para que a que a oferta continue a satisfazer a procura. É o que vai acontecer com as gasolineiras de linha branca se os automobilistas aderirem em massa a este produto. Realmente pode acontecer uma leve diminuiçao nas principais gasolineiras mas no final, nao ha combustivel mais caro nem mais barato. Ficarao todos ao mesmo preço e nós que nos amanhemos. Ai entao vamos falar de cartel. Embora nao duvide que actualmente há bruxa e tem de ser combatida

 
At 27 de maio de 2008 às 19:04, Anonymous Anónimo said...

NÃO SEI SE RESULTA.PELO SIM PELO NÃO,NÃO IREI COMPRAR NESTAS GRANDES DURANTE MUITO TEMPO.

 
At 27 de maio de 2008 às 20:34, Anonymous Joaquim F.N.Baptista said...

Neste nosso reino há sempre uns apaniguados de serviço à corja das gasolineiras (Galp/BP/Repsol) como o secretário-geral, sr. José Horta da Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (APETRO)considera boicotes às gasolineiras motivados pela ignorância.
Será ignorância senhor José Horta?
Ou será como diz o meu compadre Afonso Tomates, que «os Portugueses que trabalham para não roubar» já começam a ficar fartos de "barda-merdas" e de "filhos puta" dos gestores das empresas petrolíferas que «nos roubam sem trabalhar».
Como o senhor José Horta me chamou ignorante eu chamo-lhe a ele e a todos os administradores de empresas petrolíferas: "barda-merdas" e "filhos da puta", termos que nunca pensei na vida escrever num lugar público.

Como vivo numa zona mal servida por transportes públicos e necessito do meu velho dois lugares com mais de 15 anos para trabalhar, estou farto de vos alimentar cada vez que encho o depósito desta vez vou aderir ao boicote dos 3 dias, vão perder só a enchidela de 3 depósitos de gasóleo. Todos juntos seremos milhões e estes "filhos da puta" vão perder milhões.

 
At 27 de maio de 2008 às 21:26, Anonymous Anónimo said...

Podemos estar descansados, a GALP, que detém o monopólio da refinação e quase monopólio da distribuição, pode continuar a velar pela nossa tranquilidade no sector dos combustíveis, apesar da crise dos preços do crude os seus resultado vão de vento em popa:

«O resultado líquido do primeiro trimestre de 2008 foi de €175 milhões, superior em €33 milhões, ou 22,9% em relação ao período homólogo. Este aumento deveu-se à valorização de inventários reflectida no efeito stock, mais de duas vezes superior ao valor verificado em 2007, principalmente devido à subida acentuada do preço do crude e dos produtos petrolíferos.

Em termos ajustados os resultados atingiram os €109 milhões, menos 8,4% do que no período homólogo. O desempenho operacional positivo dos segmentos de negócio de Gas & Power e de Exploração & Produção foi suficiente para compensar o resultado desfavorável do segmento de negócio de Refinação & Distribuição.

O EBITDA replacement cost ajustado do primeiro trimestre de 2008 aumentou 3,3% em relação ao período homólogo para os €234 milhões e quando comparado com o último trimestre de 2007, esse aumento situou-se nos 30,1%. De salientar que o factor penalizador do resultado líquido replacement cost ajustado foi o aumento de €29 milhões no valor total do imposto pago, derivado maioritariamente de um aumento das vendas de crude com origem em Angola.

É de notar uma recuperação de 160,6% dos resultados líquidos replacement cost ajustados relativamente ao último trimestre de 2007, que resultou da melhoria do desempenho dos três segmentos de negócio da Galp Energia, nomeadamente do segmento de Refinação & Distribuição.» GALP - Resultados do primeiro Trimestre de 2008

Como é lógico os aumentos do crude até dão lucro à GALP já que revalorizam os stocks, os "replacements custs" são suportados pelos consumidores pois logo que o crude aumenta nas bolsas os combustíveis aumentam nas estações de serviço da GALP.

É evidente que a GALP segue boas práticas contabilísticas e de gestão, não precisa de as alterar enquanto a crise lhe passar ao lado e serem os consumidores a suportar os seus custos. Para a GALP o aumento dos preços do crude significa lucros adicionais, se os consumidores querem a gasolina mais cara que exijam ao governo que baixe o ISP:

«O valor do stock estratégico alcançou os €679 milhões face aos €566 milhões a 31 de Dezembro de 2007. Esta valorização de 19,9% traduz o impacto que as fortes valorizações dos produtos nos mercados internacionais tiveram na valorização unitária das obrigações estratégicas, nomeadamente na componente de gasolinas e destilados médios, que variaram, entre trimestres, 9,2% e 3,2%, respectivamente. As obrigações estratégicas em quantidade tiveram uma redução de 1%.» GALP - Resultados do primeiro Trimestre de 2008

 
At 27 de maio de 2008 às 21:35, Anonymous D.O. said...

Não sei se é eficaz. Sei que pelo menos será um desabafo contra as empresas que fazem lucros escandalosos à custa da crise e da especulação. É uma oportunidade de, por uma vez, os consumidores portugueses pedirem contas às empresas. Afinal de contas, somos nós que pagamos os seus lucros. E somos nós que podemos dizer que não estamos disponíveis para continuar a ser roubados em silêncio. Dia 1, 2 e 3 de Junho não vou boicotar três empresas. Boicoto todas. A minha Vespa, que gasta pouco, fica estacionada. Só a GALP, dizem os especialistas, arrisca-se a perder 13 milhões com o boicote.

 
At 27 de maio de 2008 às 22:06, Anonymous Anónimo said...

cuidado ainda são chamados comunistas por lutarem por aquilo que acreditam como os da delphi.eu não me importo e não vou dar o meu dinheiro aos julos que nos estão a explorar

 
At 28 de maio de 2008 às 01:22, Anonymous Anónimo said...

...as operaçoes de maquilhagem estão aí, no entanto o problema de fundo não se resolve...o grande problema do nosso triste País reside na palavra MONOPÒLIO; enquanto todo o crude for refinado numa única empresa, galp, os preços praticados que nos chegam são sempre produto da imaginação fértil e de puro exercício espectulativo por parte destes srs, leiam-se chupistas; em Portugal, existe uma unica refinaria, na vizinha espanha, existem 6; não hà volta a dar quanto a isto

 

Enviar um comentário

<< Home