sexta-feira, 22 de agosto de 2008

O ATENDEDOR DE CALL-CENTER

Os call-centers são úteis.

Mas tornaram-se o símbolo da sociedade portuguesa do início do século XXI.
Nos call-centers, as perguntas e as respostas estão praticamente pré-definidas, facilitando o diálogo entre clientes e fornecedores de serviços.

Têm um problema: têm dificuldades em responder às questões que não estão no guião.
Isto é: sendo uma perfeição em termos de algoritmos, recusam as questões que fogem ao que está programado.
O que lhes sobra em tecnologia, falta-lhes em filosofia.

Respondem ao como, não respondem ao porquê.
Não custa perceber porque é que José Sócrates atira foguetes ao ar quando é inaugurado um call-center.
A ideologia de Sócrates é o guião de um call-center.
Todas as perguntas e respostas estão programadas.
O discurso do primeiro-ministro é o de um atendedor de call-center.

Exemplo: no guião servido por Sócrates, são reclamados 133 mil novos empregos no País desde que está no Governo; na lista de respostas não está a que possa dizer quantos se perderam no mesmo período. Ou quantos têm o seu local de trabalho em Espanha.

Mas compreende-se.
O discurso político de Sócrates resume-se a um algoritmo: cada comando do seu computador ideológico só pode conter uma resposta a uma pergunta pré-definida, porque só sabe efectuar uma tarefa.
Que não admite questões.
Quando se misturam tarefas com questões que podem ser contraditórias, o menino de ouro deixa de ter o Toque de Midas ao seu dispor.
O call-center de Sócrates gira à volta de uma palavra: spin.


F.S.

Etiquetas: , , , , ,

5 Comments:

At 22 de agosto de 2008 às 23:55, Anonymous K. said...

Notei que “A PT vai lançar um concurso para seleccionar as empresas prestadoras de serviços que vão operar no novo centro”. “No âmbito do acordo que será hoje assinado, o município vai ceder os terrenos para a construção do novo centro, com uma área total de 3700 metros quadrados”.
“Será dada prioridade a candidatos que tenham completado o 12º ano, garantindo desta forma a contratação de emprego qualificado “.
“O centro, que deverá entrar em funcionamento dentro de 10 meses, vai contar com 600 posições de atendimento a clientes, o que representa cerca de 1200 postos de trabalho qualificado”.
“A operadora tem apostado na criação destes centros no interior do país, uma vez que a rotação dos colaboradores é ali menor do que nos grandes centros urbanos, o que se reflecte na qualidade dos serviços prestados”.

Sou só eu que vejo aqui negócio puro e duro?
O Estado vai dar o terreno, muito possivelmente impostos e subsídios para formação profissional.
Os trabalhadores serão jovens, aqueles a quem dizem querer dar novas oportunidades, e que vão ter um emprego que eu detestaria ter, como detestaria imaginar uma vida a trabalhar numa caixa de supermercado, a ganhar um ordenado perto do mínimo.
Até a justificação das razões da construção no interior do país é triste; nessas zonas os trabalhadores sabem que não podem abandonar aquele emprego, que não há mais nenhum, que aquela tem de ser a sua vida.
Sabem que vão ter de aceitar a vontade do patrão, dos horários ao salário.
Sabem que foram apanhados na engrenagem do sistema e que, a grande maioria, de lá não mais poderá sair.
É por estas e por outras que muitas vezes, até aquelas que são as boas noticias me deixam triste, não por mim, mas por aquilo em que estão a transformar este país.

 
At 22 de agosto de 2008 às 23:56, Anonymous P.S. said...

José Sócrates regressou de férias para anunciar o “compromisso” da PT em criar 1200 postos de trabalho, para o ano que vem, num gigantesco campo de trabalhos forçados "call center" em Santo Tirso. “Postos de trabalho qualificados”, sublinha. Os trabalhadores são qualificados, o trabalho é que é desqualificante e degradante. Os “call center” não são a imagem de modernidade apresentada por José Sócrates, são o dia-a-dia da geração dos 500 euros: trabalho semi-escravo, pago a 2,5 euros à hora, que faz tábua rasa das qualificações de milhares de jovens, com horários e condições de trabalho completamente absurdas. É o salve-se quem puder com vista para o cubículo da frente e do lado. José Sócrates está contente. Encontrou a razão de ser do choque tecnológico. Pôr meio país a atender o outro.

 
At 23 de agosto de 2008 às 11:50, Anonymous Anónimo said...

AFINAL AINDA É PIOR:

«Sob suspeita
Call centers da PT acusados de violar lei laboral
Por Helena Pereira
O primeiro-ministro foi esta semana anunciar 1200 novos postos de trabalho num call center da PT que tem vários processos levantados pela Inspecção de Trabalho. O ministro Vieira da Silva confirma as suspeitas

A PT Contact, empresa à qual José Sócrates se associou esta semana no anúncio de 1200 novos postos de trabalho, já foi alvo de vários processos por suspeitas de violação da Lei do Trabalho. O Ministério do Trabalho, de Vieira da Silva, reconhece situações de precariedade nos call centers da PT. Os processos levantados pela Autoridade das Condições de Trabalho (ACT) chegaram a tribunal, mas a PT não perdeu nenhum deles.

Os casos mais graves prendem-se com a contratação de trabalhadores no Porto. O vínculo laboral destes trabalhadores é com empresas de trabalho temporário e nunca com a PT Contact, que gere a atribuição de recursos humanos aos call centers da PT. Ao fim de alguns meses, as pessoas passam para outra empresa de trabalho temporário, continuando a trabalhar no call center, e assim sucessivamente. Dessa forma, conseguem estar vários anos a trabalhar no call center, mas sem nunca pertencer ao quadro da PT.»

In:Jornal "SOL"
23/08/2008

 
At 23 de agosto de 2008 às 11:52, Anonymous Anónimo said...

«INE
Há 100 mil ‘falsos’ empregados
Por Mariana Adam e Marta Moitinho Oliveira
O número de ‘falsos empregados’ pode ser superior a 100 mil. Este é o universo de pessoas em formação profissional remunerada e que, por isso, não são consideradas desempregadas à luz dos critérios usados pelo Instituto Nacional de Estatística.
Esta regra não é nova. No entanto, se estes ‘falsos empregados’ fossem contados como desempregados, a taxa oficial andaria à volta dos 9%, acima dos cerca de 7% em que está actualmente. Apesar da aposta do Governo na formação profissional, não é por este motivo que a taxa de desemprego está a descer.»

In:Jornal "SOL"
23/Agosto/2008

 
At 23 de agosto de 2008 às 21:56, Anonymous L. said...

o engenheiro desmascarado

desemprego desce para 7,3 por cento no segundo trimestre.

Novas inscrições no IEFP dispararam 13% em Julho.
Em Julho, inscreveram-se nos centros de emprego 50.700 pessoas, mais 13% do que no mesmo mês do ano passado e mais 16,7% do que no mês anterior.

as mentiras do "engenheiro" têm perna curta... e a máquina da propaganda perde-se nas informações...

 

Enviar um comentário

<< Home